Edital Redes Territoriais da Fapema é discutido em oficina com a participação da comunidade

Edital Redes Territoriais da Fapema é discutido em oficina com a participação da comunidade
junho 13 14:58 2018

Texto: Elizete Silva

A Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) reuniu nesta quarta-feira (13), pesquisadores, estudiosos no assunto, representantes da sociedade civil em torno da discussão do edital Redes Territoriais, que será lançado nos próximos dias pelo Governo do Estado. O edital, que integra a linha de ação Mais Inovação e está dentro do Programa Tecnologia Social, tem como propósito fomentar a articulação em redes de pesquisadores do desenvolvimento territorial urbano. Com recursos de R$ 500 mil, a chamada pública é voltada para os dez territórios do Maranhão compreendendo 158 municípios.

 

Os eixos temáticos do edital deverão contribuir para que o Maranhão avance em termos de inclusão socioprodutiva e geração de trabalho e renda para as populações nos territórios; produção agrícola, extrativismo e outros sistemas agrícolas por meio da introdução de experimentos e nível nutricional das populações nos territórios.

 

O diretor-presidente da Fapema, Alex Oliveira, que ao lado da diretora Científica da instituição, Silvane Magali Vale Nascimento, abriu a oficina para a elaboração do edital, destacou a importância do evento que permite a participação da comunidade científica e da sociedade na definição dos eixos que serão trabalhados e de que forma os recursos serão distribuídos.

 

 “Certamente a construção desses diálogos marcam a gestão do governador Flávio Dino. Precisamos construir políticas públicas com diálogos com os atores envolvidos no processo e isso tem sido uma prática do governo. Isso é um fato relevante para transformamos a política da Fapema em uma política de Estado e não somente uma política de governo”, disse Alex Oliveira.

 

Entre os eixos temáticos propostos estão o acesso da juventude a experimentos tecnológicos de informação e comunicação, desenvolvimento ambiental, atividades culturais como atividade formativa articulada a processos tecnológicos, turismo sustentável econômica, ambiental socialmente e manejo avícola com base na agroecologia.

Os eixos temáticos definidos na oficina deverão orientar a organização de linhas de pesquisas para o edital. A diretora Científica da Fapema destacou que é condição fundamental que os projetos contemplados no edital componham a rede referente ao território onde se desenvolve o projeto. “A proposta é de projeto de pesquisa em interface com a extensão. Essa é uma exigência”, pontuou Silvane Nascimento, durante a apresentação da minuta do edital.  

 

Para o diretor executivo do Conleste Maranhense – Consórcio Público Intermunicipal das Mesorregiões Norte e Leste Maranhense -, que abrange 40 municípios, Ozenildo Correia, a realização da oficina é importante por democratizar a participação da sociedade, academia e poder público na definição do que é prioridade, em termo de pesquisa para as comunidades, “Já participei de outras oficinas e acho uma iniciativa muito boa. A nossa expectativa é que a gente saia daqui com um debate amplo e importante para que os territórios do Maranhão possam ter um suporte a mais de pesquisa”, disse.

 

O professor doutor em políticas públicas, Thiago Pereira Lima, do campus da Universidade Federal do Maranhão do município de São Bernardo também destacou a importância da oficina. “É uma forma de descentralizar a política de produção científica. A iniciativa mostra que as decisões, as linhas de pesquisa não estão sendo impostas pelo Governo, mas discutidas com todos que tenham interesse em contribuir na elaboração dos editais”, observou Thiago Lima.  

 

  Categorias: