Ministro Gilberto Kassab participa de abertura do Fórum Nacional do Confap

Ministro Gilberto Kassab participa de abertura do Fórum Nacional do Confap
novembro 29 17:32 2018

Foi realizada na noite desta quarta-feira, 28, a cerimônia de abertura do Fórum Nacional do Confap. O ministro de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, Gilberto Kassab, participou do evento que foi realizado na sede da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Na oportunidade, foi dado início oficialmente ao Programa Centelha.

O projeto visa estimular a criação de empreendimentos inovadores a partir da geração de novas ideias e disseminar a cultura de empreendedorismo inovador em todo o País. Ao todo, 21 Fundações de Amparo à Pesquisa brasileiras vão desenvolver o projeto, que foi concebido de parceria entre MCTIC, Confap, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do MCTI, Maximiliano Salvadori, não havia melhor lugar para dar início às atividades do Programa Centelha que o Fórum do Confap. “O programa é fruto de forte articulação institucional desde 2017. Apesar de existirem inúmeras iniciativas exitosas nos Estados, o governo federal ainda não possuía um programa nacional de apoio ao empreendedorismo de base tecnológica em estágio inicial”, destaca.

Com relação ao cenário de CT&I brasileiro, o ministro Gilberto Kassab destacou que as ações em Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil melhoraram muito nos últimos anos. “Hoje, infelizmente, os recursos são pequenos com relação às demandas, mas temos a convicção de que o solo é mais fértil”, afirmou.

De acordo com ele, o Brasil precisa chegar, o mais rápido possível, a um volume de recursos investidos, públicos ou privados, que some 2% do Produto Interno Bruto do País. “Esse deve ser o nosso objetivo. A perspectiva de um Brasil melhor é por meio da ciência”, explica.

Confap

Para o presidente do CNPq, o Confap firmou, ao longo dos anos, sua importância no Sistema Nacional de Ciência Tecnologia e Inovação. “Com muito trabalho, conseguimos colocar o Confap no mapa da CT&I do Brasil e também internacional”, ressalta.

Já a presidente do Confap e da Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi, destaca que mesmo em tempos de dificuldades, houve muitos avanços nos trabalhos desenvolvidos pelas FAPs de todo o País e pelo próprio Confap. “Avançamos por que de fato estamos trabalhando em cooperação”, afirma.

Ela ainda destaca que, no contexto do Confap, existem diversos Grupos de Trabalho: GT Capes, GT Finep, GT Jurídico, GT de Comunicação, Assessorias Internacionais. “Internamente eles são as vozes do Confap, que ajudam na condução deste processo de interlocução, parceira e diálogo para o fortalecimento das Fundações e da ciência nos Estados e também das agências e parceiros com quem cooperamos”.

Fundações

A reitora da UFMG, Sandra Goulart, destacou em sua fala a importância da atuação das Fundações de Amparo à Pesquisa nos Estados. Ela ressaltou a necessidade de se ampliar o trabalho conjunto entre FAPs e instituições de ensino e pesquisa para a produção de ciência, tecnologia e inovação de qualidade em um contexto ampliado da educação.

Segundo a reitora, esse é momento para se pensar em inovação de forma criativa e fazer o diferente. “Como patrimônio do estado, as universidades públicas são responsáveis por pesquisas e, assim, devemos fazer melhor e mais, sempre, participando da construção do País”.

Memorando de Entendimento

Ao final do evento, a Fapemig e instituições de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais assinaram Memorando de Entendimentos para a criação de um Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) Central. O NIT será sediado em Belo Horizonte e vai concentrar esforços para orientação de todas as unidades do Estado.

Em sua fala, o presidente da Fapemig, Evaldo Vilela, destacou o trabalho envolvendo o Marco Legal da CT&I e a iniciativa de criação deste NIT Central.

A Fapemig e a UFMG são as anfitriãs desta edição do Fórum do Confap.

Programa Centelha

O objetivo principal do programa Centelha é ampliar o número de empreendimentos nos ambientes promotores da inovação, incluindo incubadoras e aceleradoras de empresas, parques e polos científicos e tecnológicos. O programa será executado de forma descentralizada pelos estados, com o apoio técnico e financeiro do MCTIC e da Finep.

No total, serão repassados R$ 34,4 milhões em recursos de subvenção econômica para as empresas. Em cada estado, serão apoiadas 28 startups. A estimativa é que o Centelha incentive a geração de cerca de 600 novas startups em todo o País.

Coordenação de Comunicação Social do Confap, com informações do MCTIC e da Fapemig

  Categorias: