Professor e estudantes da rede municipal são premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática

A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP) é um projeto nacional dirigido às escolas da rede pública e privada

Professor e estudantes da rede municipal são premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática
julho 09 16:01 2018
Da Redação – Agência São Luís

A estudante Nayra Guterres Vieira, do 8º ano recebeu medalha de bronze na cerimônia de entrega das premiações da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas 2018 (OBMEP), que aconteceu no Auditório Central da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Além de Nayara, o professor Jean Mendes Jansen foi premiado pelo desempenho e dedicação com os estudantes. Recebeu ainda menção honrosa o estudante Thiago Mota Brito, todos da U.E.B Menino Jesus de Praga.

A OBMEP é um projeto nacional dirigido às escolas da rede pública e privada. Foi criada em 2005 e visa estimular o estudo da matemática e identificar talentos na área. Essa premiação corresponde ao ano de 2017. Entre os prêmios concedidos aos ganhadores desta edição, estava a entrega de medalhas, certificação, kit com livros e curso de aprimoramento na área de cálculos, no Instituto de Matemática Aplicada (IMPA), na cidade do Rio de Janeiro.

Para o secretário municipal de educação, Moacir Feitosa, a premiação é muito mais do que um reconhecimento, é um estimulo. “Quero parabenizar os nossos campeões. Esse momento é muito mais do que um reconhecimento, é um ato de incentivo a todos os estudantes, escolas e professores da nossa rede. Quero deixar aqui as minhas sinceras palavras de apoio e incentivo a todos que participaram da OBMEP, em especial ao professor Jean Mendes Jansen, por ser incansável na tarefa de fazer desses estudantes, verdadeiros cidadãos; à aluna Nayra Guterres, pela dedicação e pelo bom resultado nas duas etapas; à U.E.B Menino Jesus de Praga, na pessoa da gestora Mary Bogea, que é uma das principais figuras nessa construção de envio e apoio dos estudantes nas etapas da OBMEP e ao estudante Thiago, pela menção honrosa, devido a sua boa pontuação e esforço. Todos vocês são vitoriosos”, pontuou.

 

O secretário ainda mencionou que a Educação é prioridade na gestão do prefeito Edivaldo. O gestor da Secretaria Municipal de Educação (Semed) destacou que a orientação é dar as melhores condições de aprendizado para os estudantes e trabalho para os professores. “Já restauramos 120 escolas, grande parte delas estão climatizadas. Além disso, implantamos o Programa Educar Mais, que tem a preocupação com avaliação científica de cada estudante em relação ao seu desempenho. Implantamos ainda o Sistema de Gestão Escolar, que está reorganizado e reestruturando toda a rede de ensino”, pontuou.

A secretária adjunta de Ensino da Semed, professora Maria de Jesus Gaspar Leite, falou da preocupação da secretaria em incentivar os coordenadores e gestores para estimularem os estudantes a participarem da OBMEP. “Temos a preocupação de sempre estar ressaltando com todos os educadores da rede, quanto à importância das suas escolas participarem de um evento tão grandioso como este, como uma forma de estimular os estudantes a se dedicarem cada vez mais a essa área do conhecimento que faz parte da vida da gente, que é a matemática. Para nós da rede municipal, ter aluno e professor destacado no Brasil inteiro nos enche de orgulho, isso mostra um grande avanço na educação de São Luís e nos estimula a continuar com as ações que fazem os nossos estudantes se desenvolverem cada vez mais”, disse.

A gestora da U.E.B Menino Jesus de Praga, Mary Borgea, fala da alegria em saber que um professor, dois alunos e a própria escola foram reconhecidos nas Olimpíadas de Matemática. “Para nós, foi uma honra conseguir um mérito deste. É a primeira vez que a escola é reconhecida em nível de medalha. Fizemos festa na escola e, inclusive, um painel interativo dos alunos e do professor, exatamente para estimular os demais alunos. Percebemos que muitos já estão se envolvendo, pois eles também querem ganhar uma medalha. Quero agradecer muito o professor Jean Mendes, por estar desmistificando a matemática como um bicho de sete cabeças. Os professores como um todo estão trazendo novas metodologias, novas estratégias. Isso alegra de mais meu coração, fico muita emocionada em ver os nossos alunos em destaque”, enfatizou.

METODOLOGIA

“No lado obscuro da matemática, sempre existe uma beleza”, com essas palavras que o professor Jean Mendes, tentou colocar na cabeça dos alunos que qualquer cálculo da matemática pode ser resolvido, basta ter concentração, e com o passar do tempo ela se torna até prazerosa. O professor, que já chegou à escola na segunda etapa do processo da OBMEP utilizou uma metodologia simples, porém, que deu muito certo.

Ele explica: “Primeiro observei alguns alunos que tinham bastante afinidade com a matemática, então, verifiquei quatro alunos que tinham habilidade para o ensino da matemática, com isso, uma vez na semana eu levava todos eles para a biblioteca, onde eles respondiam as provas dos anos anteriores da OBMEP. Também passava bastante exercício para responderem em casa no final de semana, falando sempre que apesar de estarem em casa, à prioridade seriam os estudos, eles topavam e estudavam mesmo. Na segunda-feira quando eles chegavam com as respostas, nós verificávamos todas elas e novamente revisava todo o assunto. Foi um método simples, mais que deu muito certo, eles são muito inteligentes”, explicou.

PRÊMIOS

O professor Jean ganhou como premiação a certificação de reconhecimento, um kit com seis livros, curso de aperfeiçoamento no IMPA, na cidade do Rio de Janeiro. “Ganhei sobretudo uma experiência incrível. Que sirva de motivação para tantos outros meus amigos professores da rede pública”, compartilhou emocionado.

A campeã da medalha de bronze era só alegria, Nayra Guterres, 13 anos, do 8º ano, falou que ficou surpresa quando soube que tinha sido aprovada com medalha de bronze. “Fiquei um pouco espantada pelo resultado, apesar de gostar muito da matemática não pensei que chegaria a essa posição. Na verdade eu já queria fazer essa prova desde quando eu estava no 4º ano, mais eu não podia, era só a partir do 6º. Então, ano passado tive a oportunidade de fazer a prova. Quando fui fazer a avaliação da primeira etapa, ao olhar as questões pensei que não iria conseguir responder nenhuma, porque achei todas difíceis, porém logo que consegui resolver a primeira questão, as outras ficaram mais tranquilas”, disse.

Além da medalha de bronze, Nayra Guterres ganhou um certificado e uma bolsa de estudo na área da Matemática Aplicada, com um auxílio de mil e duzentos reais. “Foi uma grande surpresa quando eu soube que tinha passado para a segunda fase, eu me espantei novamente. Mas quando a gente já tem uma experiência com a matemática você vai percebendo que os caminhos ficam um pouquinho menos complicados. Quero agradecer ao meu professor Jean Mendes, sem ele não teríamos condições de chegarmos até aqui”, acrescentou a estudante.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem

  Categorias: