A relação do design com o artesanato maranhense

A relação do design com o artesanato maranhense
abril 09 16:53 2019

Professores Raquel Noronha, Rose de Primo, Márcio Guimarães e Glauba Cestari no lançamento do livro “Artesanato no Maranhão: práticas e sentidos”.

Como atividade geradora de emprego e de renda, o sistema produtivo de artesanato brasileiro possui diferenças e características específicas, que se cruzam e encontram diversos saberes científicos que passam de geração para geração. No Maranhão, o artesanato tem suas particularidades e a produção é desenvolvida em azulejaria, fibra de buriti, cerâmica, renda de bilro, bordado, madeira e argila. Matéria prima e produtos que representam a cultura e os valores constituintes das áreas urbanas, mas em sua maioria, as atividades são realizadas em comunidades locais e rurais.

Com a finalidade de fortalecer a arte feita à mão e que usa a criatividade para dar vida a tantos objetos de decoração e utensílios maranhenses, foi desenvolvida a coletânea “Artesanato no Maranhão: práticas e sentidos”. Ela é organizada pelos professores Denílson Moreira Santos, – que a submeteu ao Edital FAPEMA Nº 21/2015 de Apoio à Publicação de Livros -, Raquel Gomes Noronha (UFMA); Luciana Bugarin Caracas e Glauba Alves do Vale Cestari (IFMA) e destaca-se pela possibilidade de realizar trabalho com pesquisadores de diferentes instituições de ensino, mas que têm como matéria-prima, o trabalho de pesquisa com temas focados na utilização da cerâmica no Estado.

“A ideia do livro surgiu em uma reunião informal com as professoras Raquel Noronha, Luciana Caracas, Glauba Cestari e eu, pois pretendíamos com ele, divulgar os trabalhos desenvolvidos em nossos laboratórios e núcleos que estivessem relacionados ao artesanato, sempre com a intenção de congregar resultados de pesquisas da nossa instituição com resultados de pesquisadores do IFMA”, destacou Denílson Santos.

Luminária de cerâmica – “lumi jardim Giressi”.

“Eu pesquisei a produção cerâmica de Itamatatiua. A Professora Glauba estava pesquisando no mesmo momento em que eu, para a tese, e ela, para a dissertação. Ela era orientanda do professor Denílson que trabalha com a professora Luciana, então a ligação é a cerâmica e quem trabalha na produção dela lá do nosso departamento. A decisão de construir essa obra surgiu porque a gente não tem muita coisa produzida sobre artesanato no Maranhão e resolvemos fazer essa coletânea para dar visibilidade a essas pesquisas”, completou a professora Raquel Noronha.

Ainda segundo Noronha, as pesquisas divulgadas na coletânea são de colegas e professores que já trabalhavam ou participavam de bancas sobre pesquisas em artesanato ou ainda, que fazem parte do Programa de Pós-Graduação da UFMA. “O professor Paulo Keller sempre me chama para as bancas dele. Eu sempre o convido para as minhas. Então existe essa afinidade, apesar de a gente não ter esse mesmo objeto, são pesquisas sobre artesanato. O professor Paulo Keller que é do departamento de sociologia, antropologia da UFMA, também participa da obra”, disse.

Além do professor Keller, que ocupou-se sobre estudo de caso de grupos de produção artesanal no Maranhão, fazem parte da coletânea com artigos publicados, a mestra pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da UFMA, Joana Golin Alves que apresentou análise sobre a relação entre as artesãs e profissionais designers no Maranhão; o professor Márcio Guimarães, do Programa de Pós-graduação do Mestrado em Design da UFMA, que relatou estudo de caso sobre empoderamento feminino; a professora Glauba Cestari destacou as práticas adotadas pelas ceramistas da comunidade quilombola de Itamatatiua em Alcântara; a professora Camila Andrade dos Santos do IFMA que apresentou no artigo formas de contribuir para estudo dos materiais alternativos na produção de artesanato.

Destaque também para os artigos da professora Patrícia Silva Azevedo (UFMA) que trabalha com as questões de didáticas e sustentabilidade, especificamente; do professor Samuel Benison da Costa Campos (IFMA), que trata da questão do fazer artesanal por meio da xilogravura aplicada ao ensino; da professora Luciana Bugarin que apresenta resultados de atividades de ensino, pesquisa e extensão e do professor Denílson Santos para atender as questões do ensino da relação entre designer e artesanato. “Os professores Denílson e Luciana são os coordenadores do Laboratório de Design Cerâmico (LDC) da UFMA e têm esta questão do ensinar o designer por meio do fazer artesanal, pesquisa diretamente com os alunos de graduação, de iniciação científica e extensão com a produção de artesanato”, informou Raquel Noronha.

Metodologia

Para planejar a organização da coletânea, a equipe realizou algumas reuniões de trabalho e convidou pesquisadores para escreveram artigos, em sua maioria, inéditos, especialmente para o livro ou que ainda não tinham sido publicados e decorrentes de dissertações de mestrado. Sete meses foi o período do nascimento da ideia ao lançamento do livro. “Após diversos encontros, concluímos que deveríamos elaborar uma coletânea de produções de docentes das duas instituições envolvidas e solicitamos a 11 (onze) pesquisadores, 11 artigos que se enquadrassem em categorias como: aspectos simbólicos do artesanato; relacionados ao mundo do trabalho; na terceira, a questão da sustentabilidade; e o ensino das metodologias de aprimoramento dos materiais dentro da sala de aula”, pontuou Santos.

“A organização do livro propriamente dita e a utilização das imagens que apesar de serem pretas e brancas, nesse processo é risível quando a gente trabalha com artesanato que têm palavras que os artesãos utilizam que não são comuns então precisamos mostrar por meio da imagem porque a gente trabalha com descrição de cadeia específica. São palavras inventadas muitas vezes e que nem tem no dicionário, do fazer do cotidiano e isso é muito importante ser retratado por meio da imagem”, relatou Noronha.

Torno em oficina de cerâmica

Importância do Fomento

Para o professor Denílson Santos, nesse momento de grave crise, em que muitas agências de fomento estão deixando de apoiar projetos como o deles, reconhecem o quanto importante foi o apoio da FAPEMA, que possibilitou a publicação do trabalho. “Reconhecemos sempre, que a finalidade de um trabalho científico só é atingida com a sua publicação e apenas com o fomento recebido pela FAPEMA foi possível a realização de um sonho”, agradeceu.

Resultados

O principal resultado desta obra foi a promoção da parceria que a cada hora se solidifica, entre a UFMA e o IFMA. “Além disso, podemos destacar a promoção que deu ao nosso programa de mestrado em Design, pois, seis capítulos foram escritos por professores e/ou egressos do programa, o que fez crescer o interesse de alunos de graduação dos mais variados cursos pelo mestrado em Design. De lá pra cá tem mais pesquisas ainda dos nossos mestrandos. Tanto eu quanto os outros professores, estamos nesta luta, além dos orientandos que têm trabalhado no projeto e já temos muito material”, ressaltou Santos.

Já para a professora Raquel Noronha o retorno das pessoas em relação à coletânea é impressionante e positivo, isso possibilitou pensar no projeto e dar continuidade ao trabalho, produzindo o volume dois. “Nosso livro é uma referência. Pessoas de várias partes de outras universidades do Brasil já tiveram contato com o livro, citam bastante. Nossa publicação já conseguiu um certo alcance e por isso ficamos muito felizes de poder contribuir com livros para esse campo, porque a pesquisa para artesanato é muito pouca. Existem alguns focos no Brasil em Pernambuco, Florianópolis, no Centro-Oeste, mas em outras cidades e regiões tem muito pouco ou nada sobre artesanato”, finalizou.

 

Texto: Leidyane Ramos

Fotos: Divulgação

  Categorias: