DWIH São Paulo e SBPC debatem contribuição da ciência para políticas públicas

Inspirado no jubileu de 250 anos do nascimento de Alexander von Humboldt, o DWIH São Paulo organiza atividades durante a 71ª Reunião Anual da SBPC. Além do seu estande coletivo com uma exposição fotográfica, haverá a presença de uma conferencista que falará da vida e obra de Humboldt. Além disso, especialistas da Alemanha e do Brasil participarão de uma mesa-redonda sobre a contribuição da ciência para as políticas públicas.

DWIH São Paulo e SBPC debatem contribuição da ciência para políticas públicas
julho 18 15:40 2019

“Como a ciência pode contribuir para a formulação de políticas públicas?” É seguindo pela essência dessa temática que, mais uma vez, o Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH São Paulo) organiza a presença alemã com um estande coletivo na 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que acontece de 21 a 27 de julho na UFMS em Campo Grande (MS). Considerado o maior evento científico do Brasil, a inciativa, que conta com diversas atividades como conferências, mesas-redondas, encontros, minicursos, sessão de pôsteres e diversos eventos paralelos, terá como tema central “Ciência e Inovação nas Fronteiras da Bioeconomia, da Diversidade e do Desenvolvimento Social”.

Nesta edição, a participação do DWIH São Paulo terá inspiração no jubileu de 250 anos de nascimento do pesquisador alemão Alexander von Humboldt. O DWIH oferecerá uma palestra, em 24 de julho, ministrada por Lúcia Ricotta Vilela Pinto (Unirio), sobre a vida e a obra do naturalista que excursionou e registrou durante anos a biodiversidade da natureza da América Latina. Humboldt foi também assessor científico do rei da Prússia, o que motivou o DWIH e a SBPC a organizar uma mesa-redonda, no dia 23 de julho, sobre a relação entre ciência e política. Na ocasião, palestrantes alemães e brasileiros debaterão modelos de sucesso, desafios e novos horizontes para o melhor diálogo entre essas duas esferas.

Mesa-Redonda: Como a ciência pode contribuir para as políticas públicas (How science can contribute to public policies) – 23/07 das 15h30 às 18h00 – FADIR – Bloco 03 – Anfiteatro

– Ciência e Política no Brasil: um diálogo necessário – Helena Nader (SBPC/Unifesp) será coordenadora e palestrante na mesa-redonda e, segundo ela, dialogar sobre o assunto é um passo importante par que a ciência possa cumprir sua missão em prol do progresso da humanidade. “Não se pode rotular a ciência, seja em partidos ou lados. Precisamos focar nos progressos e na economia do conhecimento. Esse evento será muito importante para que o diálogo possa vencer o enfrentamento”.

Celso Pansera (ex-Deputado Federal), que será um dos palestrantes da mesa-redonda, acredita que a ciência brasileira vem contribuindo com políticas públicas no país, mas que ainda é incipiente e aposta em eventos que foquem no diálogo e na criação de uma cultura de interface entre essas duas esferas. “Não podemos negar o fato de que a ciência brasileira tem contribuído de forma marcante com políticas públicas no país. Dois exemplos, a luta contra o Zica vírus e a explosão produtiva do agronegócio. Existe, porém, outra dimensão que objetivamos chamar a atenção e desenvolver: intensificar o diálogo e criar uma cultura de interface entre o parlamento e a comunidade científica. Esta comunicação bidirecional pressupõe o parlamento consultar e encomendar estudos nas mais variadas áreas de conhecimento humano, antes de definir suas estratégias, aproveitando o enorme potencial de nossos pesquisadores brasileiros”, explica Pansera.

– Alemanha: interdependência entre ciência e política em um novo momento – O cenário alemão da ciência e das políticas públicas contará com contribuições de Kathrin Winkler (DFG América Latina) e de Dagmar Simon (WZB Berlin Social Science Center).

Para Winkler, na Alemanha, além da valorização e da confiança em instituições de pesquisa, há programas de excelência que possibilitam uma forte ligação e, ao mesmo tempo, uma interdependência entre ciência e política.  “Sendo amplamente independente de prioridades e influência políticas, a estrutura e o trabalho da DFG (Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa) são baseados na confiança da política em suas instituições, estruturas e capacidades, possibilitando a geração de resultados científicos significativos. E é esse modelo de interdependência e programa, incluindo seu contexto histórico, abordagem, resultados e efeitos que vamos trazer para a mesa-redonda”, explica.

Seguindo pelo sistema científico alemão, Dagmar Simon, além de reforçar a importância da independência política de ciência com suas principais instituições científicas, pretende colocar em pauta uma tendência dessas duas esferas no direcionamento de uma nova política científica. “Serão discutidas as várias possibilidades de a ciência influenciar os processos de formulação de políticas. Um panorama sobre o trabalho e o funcionamento do Conselho Alemão de Ciência e Humanidades (Wissenschaftsrat), assim como os novos formatos de coprodução de conhecimento sobre oportunidades e desafios serão discutidos na ocasião”, complementa Simon.

Conferência: 250 anos de Alexander von Humboldt – 24/07 das 10h30 às 12h00 – Multiuso 1 – Bloco 15 – sl. 103
Nascido em 1769, Alexander von Humboldt é considerado um visionário, que estava sempre à frente de seu tempo em muitos aspectos, seja como um interlocutor e explorador internacional, ou como um especialista e pioneiro em pesquisas.

Ainda nos dias de hoje, essa essência e expertise de Alexander von Humboldt são consideradas atuais e modernas. E é por esse caminho que Lúcia Ricotta Vilela Pinto (Unirio) apresentará sua palestra no dia 24 de julho na SBPC.  “Nosso foco será discutir as implicações e expertises políticas entre as noções mundiais de Humboldt para incorporar significativamente o conceito de conhecimento superior a fim de buscarmos meios para identificar impasses em sua presunção do conhecimento”.

Estande DWIH com exposição fotográfica: olhar alemão em biomas brasileiros
No estande de informações do DWIH São Paulo será possível contemplar uma exposição fotográfica do Dr. Rainer Radtke, da Universidade de Tübingen. Desde 1989, ele organiza e lidera excursões especiais de quatro semanas com estudantes alemães no Brasil. Eles visitam biomas como Amazônia, Cerrado, Pantanal, Caatinga, Mata Atlântica e Pampa. As fotografias desta exposição resultam de algumas das 26 excursões já realizadas. Ainda no estande, representantes de instituições cooperadoras do DWIH São Paulo, como DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) e DFG (Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa), estarão presentes para atender ao público.

Serviço
71ª Reunião Anual da SBPC
Data:
 21 até 27 de julho de 2019
Local: Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – Cidade Universitária s/nº – Bairro Universitário – 79070-900 – Campo Grande/MS

Mais informações sobre a 71ª Reunião Anual da SBPC e a programação completa, clique aqui!

 

Fonte: DWIH São Paulo

  Categorias: