FAPEMA contabiliza avanços em 2011

FAPEMA contabiliza avanços em 2011
dezembro 21 14:44 2011

 

rosane_guerraaO governo do Estado deve dobrar os investimentos na área de ciência, tecnologia e inovação em 2012. Este ano avanços importantes foram contabilizados pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) que atendeu cerca de mil bolsistas, investiu R$ 13 milhões em formação de recursos humanos e fomento à pesquisa e avaliou mil solicitações, submetidas aos 31 editais oferecidos na página da fundação.

 A ciência e a tecnologia, acrescidas do compromisso com a inovação, constituem hoje política central do governo, expressa no Plano Plurianual. A Fapema, órgão vinculado a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectec), em consonância com a sua missão, vem trabalhando com foco nessas diretrizes. O resultado desse trabalho é hoje reconhecido nacional e internacionalmente.

O reconhecimento nacional deu-se tanto pela crescente participação da fundação no co-financiamento de editais e redes de pesquisa, bem como pelo aumento do número de pesquisadores de outros estados atuando como consultores da entidade. A inserção internacional, por sua vez, ocorreu a partir do aumento no número de parcerias estabelecidas com agencias e instituições internacionais.

“Algumas dessas ações culminaram no convite do Ministério das Relações Exteriores da França para que a Fapema participasse de uma missão constituída por apenas sete fundações do Brasil, com vista ao estabelecimento de novas parcerias com institutos e instituições de fomento francesas”, conta a diretora presidente da Fapema, Rosane Nassar Meireles Guerra. Como resultado da visita, segundo informou a presidente, surgiram acordos de cooperação com institutos internacionais que rapidamente se traduziram e dois editais voltados à mobilização de pesquisadores.

“Ainda no que ser refere à internacionalização, firmamos acordo de cooperação cientifico-tecnológica com a Fundação Bill e Milinda Gates, visando o co-financiamento de projetos e pesquisa e estamos negociando para estabelecer cooperação com a Itália e com o Canadá, contribuindo assim para uma maior inserção internacional de pesquisadores maranhenses”, revelou Rosane Guerra.

Durante todo o ano também foram estimuladas as ações de inovação que contribuíram para manter estável o número de patentes depositadas no Estado em torno de 18 depósitos/ano. Foram fomentadas ainda, neste período, números recordes de bolsas e auxílios, tanto em pesquisa como em desenvolvimento tecnológico. “E ainda tivemos número recordes de público na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e no III Encontro de Inovação”, lembrou Rosane Guerra.

Metas – Para 2012, a regularidade dos editais anuais deve ser preservada, além das ações desenvolvidas em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico – (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), que devem não só serem mantidas, mas também intensificadas.

Para isso, segundo Rosane Guerra, é importante assegurar não só investimentos crescentes e constantes em ciência e tecnologia e inovação, “mas cuidar para que sua aplicação seja fundamental em mérito técnico, para consolidar a inclusão do Maranhão no cenário nacional e internacional”. Os recursos para 2012 nesta área (correspondentes aos valores estabelecidos na constituição, que é de 0,5%) já estão assegurados no plano plurianual, seguindo as orientações da governadora Roseana Sarney.

“Nós, professores e pesquisadores, temos que, cada vez mais, nos engajar em prol de pesquisa dirigidos à soluções dos grandes problemas estaduais, como forma de também assegurar que os recursos investidos em ciência, tecnologia e inovação sejam preservados e possam contribuir para aumentar a competitividade da indústria e promover o desenvolvimento que o Maranhão precisa e merece”, destacou Rosane Guerra.

A diretora disse que os novos investimentos no Estado, bem como, o aumento dos recursos destinados às pesquisa, lançam o desafio de crescer com sustentabilidade ambiental, econômica e social. “Devemos todos assumir o compromisso de usar a ciência, a tecnologia e a inovação em prol da erradicação da miséria e da inclusão social e como elemento essencial de transformação dos indicadores socioeconômico do nosso Estado”, finalizou a Rosane Guerra.  

 

 

  Categorias: