Nº 38 – Jardins de Cura – Prêmio Fapema 15 Anos

Nº 38 – Jardins de Cura – Prêmio Fapema 15 Anos
dezembro 05 18:00 2019

O Prêmio FAPEMA atinge uma data marcante: a sua 15ª edição, que recebeu o nome da farmacêutica, bioquímica e fitoterapeuta, Terezinha de Jesus Almeida Silva Rêgo. A deferência ao nome da professora Terezinha Rêgo se legitima pela sua capacidade de disseminar o conhecimento científico, que explora e divulga os benefícios curativos da flora medicinal maranhense, e se volta às classes sociais com o atendimento tradicional, ocupando um lugar de ação, em muitas situações e territórios, que os braços do socorro médico-hospitalar, infelizmente, não alcançam. Esta é a verdadeira resposta da fitoterapia desta professora-pesquisadora. Nas próximas páginas da Revista Inovação, o leitor vai conhecer o trabalho de mais de meio século da homenageada do Prêmio FAPEMA.

Apresentamos na página 20 a entrevista Jardins de Cura, na qual ela fala sobre o desenvolvimento de pesquisas e a energia motora de sua vigente atuação na Universidade e fora dela. Entramos em contato com professores-pesquisadores que dedicam suas pesquisas a temas relacionados à botânica a fim de proporcionar ao leitor  mais informações sobre os benefícios que a flora oferece para prevenir, minimizar e curar males.

Erva com nome de santo, a erva São Simão é alvo de pesquisa para fins de controle de qualidade (página 30). A riqueza da paisagem do cerrado maranhense também opera milagres: plantas medicinais encontradas na região são usadas contra difteria (página 34). Quem diria que o óleo de babaçu pudesse ser transformado em um cosmético para ser utilizado no tratamento de hanseníase? É o que mostra a pesquisa da página 36. O homem tem tecnologia para sair da Terra em direção a outros planetas, mas ainda encontra dificuldades para combater mosquitos transmissores de doenças graves. A pesquisa da página 38 conta a história de um inseticida natural para combater o mosquito adulto do Aedes aegypti. A matéria Programa Farmácia Viva Hortos Terapêuticos é o principal legado da fitoterapeuta Terezinha Rêgo para o Maranhão está na página 42.

Quando o assunto é dor, ou melhor, remédio contra dor, vamos de Extrato de espécie vegetal é experimentado contra osteoartrite na página 46. O mastruz usado há séculos pelos nossos ancestrais indígenas é pauta do dia que se apresenta na matéria Mastruz em combate à infecção generalizada (página 48). Inovação é motivo do entusiasmo na pesquisa que descrevemos na reportagem Descoberta de nova planta no Maranhão é promessa contra zika e dengue. Leia na página 50. A coluna Na Estante na página 54 divulga obras voltadas a estudos fitoterápicos. E a opinião da coluna Sábias Palavras (página 56) é da farmacêutica Kallyne Bezerra Costa, que fala sobre sua relação com a professora Terezinha Rêgo.

Agradecemos a todos que contribuíram para que estas páginas chegassem ao leitor, em especial, à nossa homenageada. Boa leitura!

  Categorias: