Consórcio Nordeste instala câmaras temáticas da Cultura, Infra Estrutura e Investimento, e Ciência e Fomento ao Conhecimento

As câmaras buscam articular pactos entre os entes os nove estados consorciados e formular, aperfeiçoar e apoiar a implementação de políticas públicas nas áreas técnicas estabelecidas, de modo a possibilitar a atuação do Consórcio Nordeste.

Consórcio Nordeste instala câmaras temáticas da Cultura, Infra Estrutura e Investimento, e Ciência e Fomento ao Conhecimento
setembro 14 16:24 2021
Governador do Piauí e presidente do Consorcio Nordeste, Wellington Dias

O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste) instalou nesta segunda-feira (13), em agenda virtual, mais três Câmaras Temáticas: da Cultura, Infra Estrutura e Investimento, e da Ciência e Fomento ao Conhecimento.

As câmaras buscam articular pactos entre os entes os nove estados consorciados e formular, aperfeiçoar e apoiar a implementação de políticas públicas nas áreas técnicas estabelecidas, de modo a possibilitar a atuação do Consórcio Nordeste enquanto ferramenta de gestão.

“O desafio é que possamos trabalhar para ter ideias que virem projetos, e apresentar ao colegiado dos governadores para transformar em políticas públicas para o nordeste” pontuou o presidente do Consorcio Nordeste, Wellington Dias.

Reunião virtual de instalação das câmaras temáticas da Cultura, Infra Estrutura e Investimento, e da Ciência e Fomento ao Conhecimento

O Consórcio Nordeste prevê a criação de 18 câmaras temáticas em diferentes áreas. Parte já está funcionando. Elas ficam sob coordenação de governadores, contam com apoio de equipes técnicas e de governo, que articulam projetos e ações nas respectivas áreas.

Na área de infraestrutura, o desafio é pensar alternativas que possam integrar a rede de transportes rodoviários, marítimos, ferroviários, aeroviários, infra estrutura hídrica, de comunicação, energia, entre outras. A câmara de Infra estrutura e Investimento terá à frente o governador Renan Filho (AL) e o secretario de Infra estrutura e Investimento de Alagoas, Mauricio Quintela.

Mauricio Quintela apresentou um diagnóstico do setor nos últimos anos no País e os desafios para câmara temática.

“Estamos vivendo um momento muito delicado em relação a infra estrutura do País. Essa foi a década em que o Brasil menos investiu em Infra estrutura. Segundo o Fórum Econômico Mundial, o Brasil esta 68 posição em relação a competição em matéria de Infra estrutura. Nós caímos como nunca tínhamos caído antes. Nós chegamos a ter em 2011, que foi o nosso maior ano na perspectiva de crescimento, o investimento de 2,30% do PIB em Infra estrutura, que é ainda um investimento baixo para que o Brasil precisa. Ano passado, nós investimos apenas 1,50%. Então estamos em um momento muito difícil. Por outro lado, os governadores do Nordeste têm feito grandes investimentos individuais. O grande desafio da câmara temática de Infra estrutura e Investimento será fazer um bom diagnostico do que há hoje de Infra estrutura no Nordeste, fazer uma interlocução e proposta de como utilizar essa infra estrutura de forma conjunta e mais efetiva, e buscar bons projetos e condições de financiamento “. Pontou o coordenador técnico da Câmara temática.

Secretario de Infra estrutura e Investimento de Alagoas e coordenador técnico da câmara temática de Infra estrutura, Mauricio Quintela.

Já a câmara da Ciência e Fomento ao Conhecimento ficará encarregada de integrar o Comitê Científico do Nordeste à universidades e centros de pesquisa, buscando desenvolver projetos e políticas em nível regional em áreas como saúde, segurança pública, educação e agricultura.

Para o professor Marcos Pacheco representante do Comitê Científico na câmara da Ciência e Fomento ao Conhecimento a ideia é trabalhar a integração, a função social da pesquisa e ampliar o diálogo da produção cientifica com o mercado.

“Nós temos algumas palavras que são nucleares nesse processo todo, uma delas é a integração. Nós temos muitas iniciativas no Nordeste, das universidades, das fundações, de institutos tanto dos estados – quase todos tem um instituto de pesquisa, e do próprio governo federal. Nós precisamos articular todas as iniciativas porque a grande questão hoje é que nós estamos cada um em uma caixinha separada e essas caixinhas não se comunicam. Além de não se comunicarem entre si, elas se comunicam pouco com a sociedade. A segunda palavra é de função social das pesquisas. As pesquisas têm que se tornar efetivas, e também uma outra coisa importante é o diálogo com a iniciativa privada no sentido de que é importante que inciativa privada olhe a academia, olhe a produção de conhecimento como um nicho de produção daquilo que ela vai produzir.“

Professor Marcos Pacheco. integrante do Comitê Científico do Consorcio Nordeste

“Essa iniciativa do Consorcio de criação desta câmara de Ciência e Tecnologia envolvendo todos os secretários de ciência e tecnologia, e de Fomento e Pesquisa representadas por todos os presidentes de Fundação, sem dúvida nenhuma nos ajudara a subsidiar os governadores na criação de políticas públicas relacionadas a estes dois temas extremamente importantes para a sociedade. “pontuou Roberto Germano, presidente de Fundação de Amparo e Pesquisa do Estado do Paraíba.

Roberto Germano, presidente de Fundação de Amparo e Pesquisa do Estado do Paraíba.

Na área da Cultura, o governador do Piauí e presidente do Consorcio Nordeste, Wellington Dias destacou a força cultural da região nordeste, pontuando como alternativa a criação de um fundo em nível regional para se integrar a fundos nacionais e a perspectiva de captação de recursos privados, visando estabelecer um mapa da cultura nordestina e um calendário anual de eventos.

”Ter a cultura como um vetor atrativo para o turismo, mas também colocar uma boa imagem da região desde a cultura das nossas origens” considerou o presidente, Wellington Dias.

A câmara da Cultura será coordenada pelo governador Camilo Santana (CE) e tecnicamente pelo Secretário de Cultura do Ceara e Coordenador do Fórum de Cultura do Nordeste, Fabiano Piúba.

“O que apresentamos aqui trata-se de um plano estratégico integrado e articulado por meio do Fórum dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura da região, compreendendo o papel e lugar da cultura em suas dimensões social, simbólica e econômica. Teremos cinco eixos temáticos, dois deles já aproveitamos do que já existem nas outras Câmaras Temáticas. O primeiro eixo é de Boas Práticas e Ações Integradoras, em que vamos realizar o mapeamento de políticas culturais que poderão nos servir como parâmetros para análise e ações. O segundo eixo de Monitoramento, Gestão do Conhecimento e Suporte à Tomada de Decisões consiste em consolidar a plataforma do Mapa Cultural que já existe no Ceará como ferramenta em outros estados. Além disso, temos um eixo voltado para o audiovisual no Nordeste e outro para a preservação de patrimônio cultural e o registro das expressões culturais em comum na região. Por fim, um voltado para economia criativa, inclusive com a elaboração de um Plano Regional de Turismo Cultural”, destacou o secretário Fabiano Piúba.

 

Secretário de Cultura do Ceara e Coordenador do Fórum de Cultura do Nordeste,
Fabiano Piúba.

Durante a agenda o presidente do Consórcio, governador Wellington Dias ouviu os representantes de cada Câmara Temática e ressaltou o desejo de uma Hollywood de todas as áreas para o Nordeste. “A prioridade é trabalhar o que temos de sugestão em cada uma das Câmaras. Depois teremos a organização de grupos de trabalho e tão logo que tivermos um único produto pronto, devemos colocar em formato de apresentação, para que possa entrar em prática após aprovação dos governadores. Para a equipe de cultura, brinco que fico usando o exemplo do Cine Holliúdy. Quero uma Hollywood no Nordeste nas mais diversas áreas, uma “infraestrutura Nordeste” e fico imaginando os bons resultados que teremos”, pontuou.

Confira a Portaria nº 016-2021 – CT Ciência e Fomento ao Conhecimento Portaria nº 016-2021 – CT Ciência e Fomento ao Conhecimento que institui as mais novas Câmaras Temáticas do Consócio Nordeste.

 

Fonte: Consórcio Nordeste por Alexandra Silva Vieira

 

 

  Categorias: