Consumo racional de energia é tema de trabalho realizado em comunidade da capital

Consumo racional de energia é tema de trabalho realizado em comunidade da capital
agosto 05 20:34 2013

1 lampada

O acender de uma lâmpada no momento e no lugar certo pode levar além da luz, oportunidade, aumento da renda e uma nova perspectiva de vida. Mas essas condições só são possíveis através de um caminho: o conhecimento. E uma pesquisa tem comprovado essa situação ao ensinar e qualificar pessoas das comunidades carentes de São Luís sobre o consumo de energia residencial. 

O projeto, que é desenvolvido pelo professor do Instituto Federal do Maranhão – IFMA, Fábio Henrique Silva Sales, conscientiza e consegue dar formação profissional básica sobre o consumo e gastos de energia elétrica aos moradores do residencial do Monte Castelo, comunidade que morava nas palafitas do rio Anil e que hoje reside no condomínio construído com recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, nas proximidades do Instituto.

O trabalho, que recebeu recursos financeiros da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, por meio do edital de Apoio a Projetos de Extensão (AEXT), estimula o consumidor a racionalizar energia elétrica dentro de casa. Até saber se, por exemplo, as lâmpadas, as tomadas, os aparelhos que estão utilizando são adequados para o ambiente, e assim, reduzir gastos, mantendo cuidado também com a eletricidade e evitando curto circuito ou descarga elétrica.

“Fizemos o convite e promovemos uma reunião na comunidade, iniciando o período de inscrição. Logo após, começamos com o levantamento em cada apartamento para questão do consumo de energia elétrica, quantos aparelhos eletrônicos eles tinham e qual o período médio ficavam ligados. Isso tudo para que depois fizéssemos um diagnóstico, observando o que tinha de bom e de ruim no consumo de energia”, comentou o professor do IFMA.

Foram feitas também palestras semanais com a comunidade referente ao consumo de energia elétrica, um curso de eletricidade básica certificado pelo IFMA com 40 vagas e com carga horária de 60 horas. “Já temos caso de um participante que já conseguiu um emprego em um banco, trabalhando nessa parte de eletricidade devido a esse curso que ele fez dentro do projeto”, destacou Fábio Sales. No geral, são 1200 pessoas inscritas no projeto.

E foram dicas simples que diminuíram consideravelmente o consumo de energia no domicílio e consequentemente os gastos no final do mês. “Muita gente desliga os aparelhos pelo controle remoto e acha que isso é o suficiente, mas não é. Às vezes você pensa que desligou o aparelho, mas ele fica consumindo, com os leds acesos. Por exemplo, temos os aparelhos de TV e micro-ondas que tem relógio, e se puder desligar o aparelho da tomada isso pode ajudar bastante”, ressaltou o pesquisador Fábio Sales.

A pesquisa conseguiu mudar os hábitos dos moradores e promover a integração social, motivando jovens e adultos a renovarem suas esperanças. “O projeto tem um caráter social e motivacional muito grande e vem abrindo o horizonte das comunidades carentes, principalmente, dos jovens, tirando-os da marginalização e do mundo das drogas. Isso tudo é possível por meio da educação e o projeto do ponto de vista social mostra que se pode evitar isso através de estudos, dando-lhes, deste modo,condições de um futuro melhor”, complementou o professor.

Mais detalhes sobre essa pesquisa no Rádio Inovação

 

  Categorias: