Criação de rádio em Instituto Educacional provoca engajamento juvenil

Criação de rádio em Instituto Educacional provoca engajamento juvenil
abril 25 18:37 2019

Texto: Leidyane Ramos

Fotos: Divulgação

O protagonismo juvenil há algum tempo tem sido aplicado à educação. A concepção para definir um protagonista no processo educativo foi criada em 2000, pelo pedagogo e escritor mineiro, Antônio Carlos Gomes da Costa, um dos principais colaboradores e defensores do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e que desenvolveu essa nova prática educativa com jovens. Para Costa, o protagonismo juvenil pode ser identificado como uma pedagogia democrática e ativa, que deve ser pautada como metodologia de cooperação e fundamentalmente da ação para estimular a participação cidadã a partir da realidade dos jovens e permitir que os mesmos participem de situações reais na escola, na comunidade e na vida social, atuando como parte da solução e não de um problema.

Com intenção de ressaltar esta prática educativa entre jovens a partir da abordagem de assuntos frequentemente discutidos no seio escolar, a pedagoga e psicopedagoga Jacione de Jesus Batalha, da Unidade Plena do Instituto Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (IEMA) desenvolveu o projeto “Protagonismo Juvenil: o uso das tecnologias no ensino e aprendizagem no IEMA em Pindaré-Mirim – MA”. A pesquisa é fomentada por meio do Edital nº 06/2017 – Geração Ciência da Fapema com vigência até setembro de 2018 e tem como objetivo difundir conhecimento, informações e cultura por meio do uso de tecnologias, mais especificamente por meio da implantação da rádio, proporcionando o fortalecimento e crescimento do ensino e aprendizagem dentro da Instituição e o desenvolvimento da ludicidade e da arte de aprender a empreender.

Segundo Jacione Batalha, a abordagem para a andamento das atividades foi realizada de forma colaborativa e participativa, com a finalidade de visualizar a importância das ferramentas tecnológicas na construção do ensino e aprendizagem do educando/aluno, bem como do próprio docente/professor. “O estreitamento do protagonismo juvenil e da tecnologia, especialmente a Rádio já implantada no IEMA, implicou em uma relação dinâmica entre formação, conhecimento, participação, responsabilidade e criatividade na estrutura educacional do aluno. Foi fundamental para nortear a vida laboral e a valorização dos jovens estudantes”, destacou.

Para a concepção do projeto de implantação da rádio no IEMA, foi adquirido todo material necessário que possibilitasse o funcionamento regular da emissora, bem como a distribuição de tarefas entre os alunos bolsistas e sob a orientação da professora-proponente Jacione Batalha. ”No planejamento do projeto e no decorrer das atividades observamos que deveríamos agir de maneira integrativa também com os eventos realizados no calendário regular da Unidade Plena, com a divulgação de avisos, horários, temas da atualidade, músicas e outras atividades. Tudo isso facilitou a inserção da rádio e o uso dessa ferramenta como forma de reforçar a identidade e o protagonismo dos jovens do IEMA”, pontuou a pedagoga.

A ideia central partiu da necessidade de se ter um meio de comunicação interno, a fim de facilitar a difusão de práticas pedagógicas e administrativas dentro da unidade, com a inserção e interação com os alunos, por meio de informes, músicas, temas atuais, discussões e demais instrumentos pedagógicos de êxito, através da rádio. Conforme Jacione Batalha, o projeto está sendo executado há aproximadamente seis meses, com o pleno funcionamento da rádio IEMA.“O projeto já está efetivado, com a possibilidade, inclusive, de extensão do projeto no decorrer da execução, com a instalação de equipamento de áudio em cada sala de aula, facilitando o trabalho desenvolvido pela gestão escolar”, complementou.

Metodologia

Inicialmente foi realizado um levantamento bibliográfico para coleta de informações acerca do funcionamento e instalação da rádio, utilizando recursos tecnológicos e de domínio de internet para o crescimento e fortalecimento do ensino e aprendizagem. Após a instalação, há a utilização do espaço cedido pelo IEMA – UP Pindaré Mirim – MA para realizar atividades operando a rádio, divulgando informativos, músicas, poesias, contos, bem como, a agenda escolar e da rádio. O projeto previu que além dos três estudantes bolsistas que têm atribuições de gestão, o espaço na rádio fosse franqueado aos demais interessados, incluindo professores, alunos e etc., desde que previamente agendado, para que não comprometesse as atividades regulares da instituição.

Importância do fomento

A pesquisa e a extensão necessariamente precisam de um auxílio para o desenvolvimento de projetos, que por vezes, é inviável ante a ausência de recursos por parte do pesquisadores. Deste modo, a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), uma instituição que prima pela pesquisa e extensão é fundamental para a concretização dos objetivos apontados pelo projeto, especialmente na utilização dos recursos tecnológicos para o crescimento do protagonismo juvenil entre os alunos. “Além do fomento da FAPEMA, existe bastante contribuição para a execução das atividades no IEMA e na SECTI, visto que as instituições estão diretamente engajadas no projeto, oferecendo os suportes físicos e pessoais para a execução do projeto, que está alcançando níveis satisfatórios, bastando verificar nos índices acadêmicos desde o início da execução”, apontou.

Resultados

Batalha diz que os resultados pretendidos estão sendo alcançados de forma satisfatória, eis que é uma prática inovadora e chama a atenção dos alunos, o que possibilita maior interação e diálogo com a equipe gestora do projeto, temas da atualidade, música e demais atividades. “Isso tudo, vê-se, às claras, que houve uma mudança de rotina dos alunos, bem como o desenvolvimento do senso crítico. Além disso, há o estímulo dos jovens protagonistas por meio do ócio criativo e a utilização e captação daqueles que tenham interesse em utilizar os meios tecnológicos como atividade empreendedora, já que a tecnologia é a mola mestra do século 21”, finalizou.

Em termos gerais, o crescimento do protagonismo juvenil após a implantação do projeto foi grande, apresentando níveis satisfatórios e os resultados esperados estão sendo cumpridos e realizados. Além disso, o projeto é aberto, como forma de preservação da democracia e acessibilidade a todos os públicos interessados. “É satisfatório poder desenvolver o uso de tecnologias como instrumentos pedagógicos, especialmente a Rádio, que tem a capacidade de difundir conteúdos e temas de relevância para os estudantes, já que é um poderoso meio de comunicação”, frisou a pedagoga. Inclusive, há a utilização de outros instrumentos tecnológicos que permitem a interação e aprendizado dos alunos, bem como há uma compatibilidade da proposta que faz uso de tecnologia com o IEMA, que tem em seu modelo pedagógico e de gestão a utilização de ferramentas inovadoras e tecnológicas para a contribuição no
ensino e aprendizagem dos alunos.

  Categorias: