Crianças da área Itaqui-Bacanga recebem atendimento odontológico por meio de projeto financiado pela FAPEMA

Crianças da área Itaqui-Bacanga recebem atendimento odontológico por meio de projeto financiado pela FAPEMA
março 20 11:28 2013

 

saudeUm levantamento do Ministério da Saúde apontou que mais da metade das crianças com idade até cinco anos já teve cárie no Brasil. O Nordeste do país é o local em que a prevalência de cáries é maior: 2,7, pouco acima do que preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS) para considerar o índice baixo, que varia entre 1,2 até 2,6. O levantamento também mostra que 66% das crianças de até 12 anos, já tiveram em alguma fase da infância ao menos um dente cariado.

No Maranhão, estima-se que na primeira infância, entre 0 e 4 anos, 37% das crianças tenham cáries. Para mudar essa realidade, a pesquisadora Cecília Cláudia Ribeiro, apresentou o projeto “Odontologia para bebês: uma clínica para atendimento para pré-escolares em São Luís”. O projeto foi beneficiado pelo edital AEXT (Apoio a projetos de extensão) nº 21/2011, da FAPEMA (Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico do Maranhão), que tem como objetivo financiar projetos de extensão que possam fortalecer a ação da pesquisa sobre os problemas sociais.

“Esse é um problema social grave, especialmente porque percebemos que ele atinge principalmente crianças que vivem em áreas periféricas, que tem menos possibilidade de acesso aos hábitos de escovação”, explicou a coordenadora do projeto Cecília Cláudia Ribeiro. As crianças atendidas são, em sua maioria, moradoras de bairros da área Itaqui-Bacanga, próxima à Universidade Federal do Maranhão (UFMA), local em que o projeto está instalado. O atendimento é feito todas as terças-feiras, e, mensalmente, aproximadamente 60 crianças nessa faixa etária são acolhidas no projeto, que conta com a colaboração de três professores da odontopediatria e pelo menos vinte estudantes de graduação do último ano do curso de Odontologia, da Universidade Federal. “Temos esses estudantes justamente porque esse não é um trabalho fácil, é necessário que haja um comprometimento, especialmente porque sabemos que é um serviço escasso. A nossa missão é, acima de tudo social”, esclareceu a pesquisadora.

De acordo com ela, é importante que haja uma ampliação do atendimento odontológico preventivo para que a realidade de crianças com histórico de dentes cariados possa ser modificada no Maranhão. Segundo a pesquisadora, comportamentos como: escolaridade materna baixa e hábitos de consumo incorretos são apontados como as principais características para o elevado índice de cárie nessa fase da vida. Excesso de açúcar, doces, salgados refrigerantes e uma limpeza inadequada favorecem o comprometimento da dentição da criança. “Isso sem contar que pais menos esclarecidos, sem conhecimento suficiente para realizar a atividade preventiva”.

A clínica odontológica também desenvolve suas atividades a partir de projetos financiados através de auxílios de outros dois editais: o PPSUS e o PRONEX, abordando: determinantes nutricionais associados à cárie em população de baixa renda; e fatores etiológicos do nascimento pré-termo e consequências dos fatores na saúde da criança. O auxílio recebido pelo edital AEXT para o desenvolvimento da pesquisa foi de R$ 20 mil reais.
“O apoio da Fapema é fundamental para otimizar recursos para a clínica. Sem recurso não seria possível realizar esse trabalho que desenvolvemos na clínica, nada disso seria possível. É de fundamental importância a participação da Fapema nesse processo”, elogiou. Durante o período de férias na UFMA a clínica estará fechada. As portas serão reabertas para o atendimento ao público infantil a partir da primeira quinzena do mês de abril.

  Categorias: