Economia Solidária consolida parceria com a SNCT

Economia Solidária consolida parceria com a SNCT
outubro 16 22:28 2012

 

economia_solidriaaEm mais uma edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Maranhão (SNCT), os grupos de Economia Solidária ativos no Maranhão, estão presentes através do apoio da Secretaria de Trabalho e Economia Solidária (Setres) ao evento. Este é o segundo ano consecutivo de parceria e o espaço traz novas oportunidades de comercialização de produtos e de divulgação da prática.

Além do estande da secretaria, o órgão está presente através de diversos grupos produtivos atuando como expositores da mostra. O objetivo da presença destes grupos é trazer a realidade deles às novas tecnologias e vice-versa.

A coordenadora de Economia Solidária da Setres, Mariana Nascimento, explicou que em recente visita técnica ao interior do Estado, encontrou grupos com problemas de equipamentos que só funcionavam com rede trifásica, quando o povoado estava localizado em área de fornecimento de energia monofásica – o que acaba inviabilizando o uso do equipamento. “São essas realidades que precisamos adequar: a que os grupos enfrentam e a que as novas tecnologias produzem. Esse entendimento é necessário e urgente”, avalia a coordenadora.

Para o secretário de Trabalho e Economia Solidária, José Antônio Heluy, a proximidade com tantos produtores do saber científico e tecnológico também é fundamental para o desenvolvimento dos grupos produtivos. “Temos estudantes, pesquisadores, professores circulando no espaço, onde podem conhecer nossos saberes e fazeres populares e, quem sabe, firmar parceria para prestarem a assessoria técnica que os grupos estão precisando em sua atividade”, destacou.

Grupos Produtivos- A Setres e o Fórum Estadual de Economia Solidária mapearam 1.042 grupos que praticam a Economia Solidária em todo o estado do Maranhão. Aproximadamente 15 grupos participam da mostra da Semana de Ciência e Tecnologia, comercializando produtos como biojoias em sementes e fibras nativas (buriti, juçara etc.); bonecas artesanais; alimentação, dentre outras.

Um deles é o grupo Unidos pela Fibra, da Vila Ariri (São Luís). A artesã Kátia Lúcia Silva, que entrou para o grupo há menos de seis meses, explica que a expectativa pelas vendas do grupo é positiva. “A mostra acontecendo aqui no shopping traz a possibilidade de estarmos mais próximo de quem quer conhecer e quer comprar nossa produção”, enfatizou.

A artesã Francilene Silva, do Grupo Gravin, da Vila Nova (São Luís) diz que o grande interesse do grupo é divulgar o que é produzido. “Queremos que as pessoas conheçam nossos produtos, nossa variedade, nossos preços”, opina. “E estar aqui é muito bom para o grupo sim, precisamos de todo o apoio técnico que surgir. É um grande interesse nosso”.A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia vai até sábado (20), funcionando no estacionamento dos fundos do São Luís Shopping, das 9h às 20h.

 

 

  Categorias: