Fapema confere Prêmio Especial à pesquisadora da área da Saúde

Fapema confere Prêmio Especial à pesquisadora da área da Saúde
dezembro 02 12:45 2015

Maria Nilce de Sousa Ribeiro é a primeira vencedora do Prêmio Especial Fapema. Ela é professora e pesquisadora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Federal do Maranhão. Possui doutorado e mestrado em química orgânica pela universidade de São Paulo. É graduada em farmácia-bioquímica pela Universidade Federal do Pará, tem experiência na área de química de produtos naturais e atua nos temas metabólitos secundários bioativos de plantas medicinais e produtos de abelhas sem ferrão.

 “Nessa 11ª versão do Prêmio Fapema, estamos mantendo as categorias já tradicionais e lançamos o Prêmio Especial Fapema, que reconhece um pesquisador que contribui com seu trabalho para o desenvolvimento do nosso estado”, informou o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), Alex Oliveira.

A notícia da premiação pegou a professora Nilce de surpresa. “Realmente eu não esperava uma ligação da Fapema com a notícia de que iria receber um prêmio. Estou muito feliz, afinal, são anos de dedicação e sei que há muitos bons trabalhos de colegas da academia. Por isso, sinto-me lisonjeada por ter meu trabalho reconhecido”, disse.

Nilce RibeiroA equipe coordenada por Nilce Ribeiro estuda a química de produtos, identificando seus metabólitos naturais. No momento se ocupa com pesquisas voltadas para o óleo de babaçu. “O que já nos rendeu três patentes, uma hidratante/oxidante, uma hidratante/cicatrizante e uma antiage”, conta. 

Nos últimos 10 anos, a professora pesquisa a abelha sem ferrão, a tiúba, que é da Baixada e do cerrado maranhense. Essa abelha produz o geoprópolis, uma mistura de própolis com terra e essa substância tem muita utilidade química e geológica. “Comumente, as pessoas só cultivam a abelha tiúba por causa do mel. Mas sabendo que há outras propriedades nessa cultura, elas podem passar a explorar outras potencialidades da meliponicultura e assim aumentar suas rendas. Tudo o que investimos nas pesquisas é base para produção de produtos naturais e esse é o caminho para o desenvolvimento sustentável no Maranhão”, acredita a pesquisadora. 

Indicação 

Os indicados ao Prêmio Especial Fapema foram escolhidos pela Diretoria Executiva da Fundação, que utilizou os critérios de seleção nível de produtividade e relevância das pesquisas já realizadas, entre outros.

“Fizemos uma seleção de nomes da academia. De cada área escolhemos dois representantes e chegamos ao nome da professora Maria Nilce Ribeiro”, esclarece a diretora científica da Fapema, Silvane Magali.

A professora Nilce Ribeiro e mais 40 pesquisadores receberão o reconhecimento do Prêmio Fapema nesta quarta-feira, 2, às 20h, durante a cerimônia de premiação, que acontece no Espaço Gaia, na Ponta do Farol.

  Categorias: