Fapema lança edital de Inclusão Produtiva Quilombola em ato público alusivo ao Dia da Consciência Negra

Fapema lança edital de Inclusão Produtiva Quilombola em ato público alusivo ao Dia da Consciência Negra
novembro 24 16:39 2017

O Governo do Estado do Maranhão e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), em parceria com a Secretaria de Estado de Igualdade Racial (SEIR), realizaram na noite desta quinta-feira, dia 23, em ato público alusivo ao Dia da Consciência Negra, na praça da Casa do Maranhão, no Centro Histórico de São Luís, o lançamento do edital de Inclusão Produtiva Quilombola.

O edital tem como objetivo apoiar pesquisas voltadas aos estudos sobre a inclusão produtiva das comunidades quilombolas no Maranhão que possibilitem contribuições efetivas para elaboração e implementação de ações governamentais que resultem no fortalecimento da inserção dessas comunidades nas cadeias produtivas no estado.

“Esse edital se insere na linha de ação ‘Mais Inovação’ e no programa ‘Tecnologia Social’, porque a gente entende que a inovação não está restrita às grandes descobertas. Há uma inovação social importante que precisa ser desenvolvida e o nosso intuito é de fazer uma inclusão produtiva a partir de um edital de apoio às comunidades quilombolas. A gente tem várias ações que podem ser desenvolvidas em torno do que já se faz dentro dos quilombos e nós queremos encontrar alternativas para que as pessoas possam desenvolver aquilo que eles já fazem com maestria”, destacou o diretor-presidente da Fapema, Alex Oliveira.

Segundo o secretário de Estado da Igualdade Racial, Gerson Pinheiro, o Governo tem trabalhado a partir do tripé de visibilidade, reconhecimento do povo negro e implantação de ações que possam contribuir com conquistas do povo negro maranhense pela igualdade racial.

Durante o evento, o secretário Gerson Pinheiro apresentou as ações desenvolvidas no âmbito do Programa Maranhão Quilombola, cujas ações estruturais denominadas Rotas de Desenvolvimento Sustentável de Comunidades Quilombolas acontecem nos municípios de Icatu e Serrano do Maranhão.

“Nós já tínhamos feito a Feira do Livro em homenagem a Maria Firmina dos Reis, a primeira escritora negra do Brasil que tematizou a questão da escravidão ainda no século XIX. Temos, portanto, a continuidade dessas ações com políticas novas lançadas hoje, especialmente a política de saúde para a população negra, a campanha de combate ao racismo nas escolas, a campanha de estimulo de identificação ao que se refere aos cadastros sociais, o edital de incentivo à pesquisa acadêmica sobre as comunidades quilombolas e o edital para apoiar entidades civis que trabalham com a geração de renda para a população negra”, disse o governador Flávio Dino.

Na programação foi lançada a campanha “Por Um Maranhão Visível” para fortalecer a auto identificação dos povos e comunidades tradicionais no Cadastro Único. Será feita  a sensibilização de gestores públicos, técnicos e sociedade para identificar os quilombolas, indígenas e ciganos e inseri-los no sistema.

  Categorias: