Fapema participa da abertura do II Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica no Maranhão

Fapema participa da abertura do II Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica no Maranhão
abril 19 19:36 2018

Jhonatan Almada, reitor do Iema, dá boas vindas aos participantes do II SNEPT no Maranhão.

O Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão(Iema) realizou durante esta quinta-feira, dia 19, o II Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica no Maranhão (SNEPT), que tem como tema “A Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional”.

O evento reuniu estudantes, professores, dirigentes de entidades públicas e privadas, e autoridades de vários municípios do Estado, e busca fomentar os debates sobre a importância do tema para o contexto histórico educacional no Maranhão e no país. A programação contou com mesa de abertura para discutir “Os desafios da Educação Profissional com a Reforma do Ensino Médio” e teve como convidados José Henrique Paim, ex-ministro da Educação e Tereza Cosetti, gerente do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (CEIPE-FGV) que falaram dos indicadores da educação brasileira, da necessidade de se levar em consideração as desigualdades regionais para a reforma do ensino médio, da oferta de educação profissional pela rede federal, dentro outros.

Em seguida, a mesa do seminário composta por Alessandro Santos, gerente de Desenvolvimento de Soluções do Instituto Unibanco e Anna Helena Altenfelder, presidente do Conselho Administrativo do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), abordou e destacou o “Processo de Construção da Base Nacional Comum Curricular”. À tarde, outros assuntos foram analisados pelos participantes do evento.

Para o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), Alex Oliveira, a educação profissional é um grande passo para inserir os jovens não só no mercado de trabalho, mas para que possam encontrar suas vocações e melhorar a sua afeição aos estudos. “Nós sabemos que quando se oferta a educação profissionalizante e quando se abre um leque de escolhas, você permite aos jovens já criar sua identidade profissional. Isso é fundamental porque ele escolhe aquilo que quer estudar e aí faz com mais prazer e devoção. Se dedica de uma maneira mais efetiva aos estudos. Então é isso que nós esperamos. Acreditamos muito na educação profissionalizante como estão fazendo com os Iemas no Maranhão. Acreditamos que a partir dessa educação, com incentivo em ciência e tecnologia, e com incentivo em pesquisa, estaremos realmente formando uma nova geração da ciência no Maranhão”, pontuou.

O reitor do Iema, Jhonatan Almada, destaca a estrutura e os investimentos realizados na construção do “padrão Iema de qualidade” nas unidades plenas e vocacionais e da importância dos gestores para o desenvolvimento. “Nossos professores são o alicerce principal do funcionamento porque eles exercem liderança acadêmica nas unidades e as conduzem dentro do modelo de gestão pedagógica, sendo avaliados duas vezes por ano pelo desempenho para permanecer no modelo. Isso tudo é fruto de muito trabalho, dedicação e, sobretudo, seriedade na aplicação do recurso público. Cada centavo que é recebido pela educação maranhense é muito bem aplicado”, finalizou.

  Categorias: