Governo amplia investimentos na área de C&T visando o desenvolvimento do Estado

março 13 12:19 2012

Na busca da promoção do desenvolvimento do Estado, do combate a pobreza extrema e da melhoria da qualidade de vida da população maranhense, o governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), vai investir este ano mais de R$ 40 milhões no financiamento de projetos de pesquisa. Serão 40 editais disponibilizados ao longo de 2012 na página da fundação – www3.fapema.br. Os recursos são destinados a bolsas, auxílios, convênios federais, programas de divulgação científica, inserção de pesquisadores nas empresas e projetos estratégicos para o Maranhão, em todas as áreas do conhecimento.

O lançamento do pacote de editais aconteceu nesta terça-feira (12), no Palácio Henrique de La Rocque, em solenidade presidida pelo vice-governador Washington Oliveira e coordenada pela secretária de Ciência e Tecnologia (Sectec), Olga Simão, e pela diretora-presidente da FAPEMA, Rosane Nassar Meireles Guerra. O presidente da Rede Européia de living Labs, Álvaro Duarte de Oliveira, participou do evento como palestrante da tarde, abrindo a primeira edição deste ano do Projeto Colóquios FAPEMA.  

Com o lançamento dos editais, a FAPEMA cumpre o seu papel de fomentadora da ciência, tecnologia e inovação no Maranhão, proporcionando aos pesquisadores maranhenses condições para a realização de projetos de pesquisa e intermediando a transformação do conhecimento científico em instrumento capaz de contribuir para a redução das assimetrias sociais.

Entre as autoridades presentes no evento estavam o reitor da Universidade Estadual do Maranhão, José Augusto Oliveira; os secretários de Estado, Conceição Andrade (desenvolvimento agrário), Jura Filho (turismo), Alberto Franco (assuntos estratégicos), Luisa Oliveira (Direitos Humanos), Cristina Loyola (adjunta da Saúde); ainda participaram os pró-reitores de pesquisa e pós-graduação José Hilton Rangel (IFMA), Fernando Carvalho ( UFMA), representando o reitor Marcos Barros, o professor Marcos Grisotto (Uniceuma), o superintendente Marcos Moura (FIEMA/IEL), além de parceiros, universitários, professores, pesquisadores e convidados.

O vice governador Washington Luiz disse ser um marco o momento do lançamento dos editais para o Governo do Estado, que segundo ele, tem dado a prioridade as áreas da pesquisa, ciência e tecnologia com a expansão de universidades e cursos e consolidação de cursos estratégicos e programas voltados ao combate da pobreza extrema. “A Fapema oportuniza a toda comunidade acadêmica a participação em programas e projetos que venham  trazer desenvolvimento e inovação para o Estado”, observou.

Ele ressaltou que o governo será parceiro na 64ª Reunião da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), que será realizada em São Luis de 22 a 27 de julho deste ano. ”Na próxima semana será realizada uma reunião com todos os secretários de estado que tenham atividades envolvidas na SBPC e hoje a Fapema lança edital específico para o evento, isso é muito positivo para Maranhão”, falou.

A presidente da FAPEMA, Rosane Guerra, apresentou os 40 editais que serão disponibilizados para todo o ano de 2012, destinados a ciência, tecnologia e inovação no Estado. “Com o lançamento dos editais 2012, a FAPEMA informa quais as propostas da fundação para este ano para que os interessados se preparem, organizem e analisem em qual edital podem se encaixar”, pontuou a presidente.

A presidente falou que alguns dos editais a partir desta semana estarão disponibilizados na página da FAPEMA e que outros serão inseridos durante a semana e também durante todo o ano de 2012. Rosane Guerra falou ainda sobre o edital destinado ao apoio a realização de atividades durante a SBPC. “Queremos atrair pesquisadores e trazer caravanas de estudantes do ensino médio,e fundamental para que participem desse evento que é sem dúvida, o maior de ciência e tecnologia do país”, declarou.

Combate à pobreza – O destaque da solenidade foi o lançamento do edital especial, resultado da parceria entre várias secretarias de estado, “Projetos Estratégicos para o Maranhão”, que tem como objetivo o fortalecimento de programas executados pelo governo do Maranhão, onde serão aplicados com recursos próprios do Governo do Estado, R$ 20 milhões de reais, em todas as áreas do conhecimento.

“Na verdade, os projetos estratégicos são temas dos editais desse ano, porque são interesses do governo federal e do governo do Maranhão,o combate à miséria. E a ciência e tecnologia têm o poder de promover e desenvolver as transformações que o Maranhão almeja e precisa”, ressaltou Rosane Guerra.

Em 2012, a FAPEMA traz mais novidades, como os editais de Cooperação Internacional com instituições americanas e francesas, como o Institut National de Recherche em Informatique et Automatique(Inria) e Center National de La Recherche Scientifique  (CNRS) da França, e a Fundação Bill e Melinda Gates, dos Estados Unidos, que proporcionarão aos pesquisadores maranhenses intercâmbio com centros de pesquisas internacionais. “O que se espera é promover o fomento à pesquisa e ao intercâmbio e à difusão de ciência e tecnologia e inovação do estado”, concluiu Rosane. Os recursos para esses editais são oriundos da própria FAPEMA e também de parceiros como CNPq, Finep e Decit, além de convênios internacionais com o Inria, o CNRS e a Fundação Bill e Melinda Gates.

A secretária de Estado de Ciência e Tecnologia, Olga Simão, destacou o significativo aumento nos investimentos do Governo do Estado na área. “É um compromisso que o Governo do Estado tem em promover e difundir a ciência e tecnologia no Maranhão”, disse. Segundo a secretária, a demonstração clara que o governo dá é a continuidade do  lançamento dos editais e cada vez com mais novidades, como a inclusão de editais específicos para SBPC e  o edital “Projetos Estratégicos para o Maranhão”, em que se busca o combate à miséria.

Colóquios FAPEMA – Na oportunidade, foi realizada também a primeira edição do Projeto Colóquios FAPEMA 2012, que teve como palestrante o presidente da Rede Européia de living Labs, Álvaro Duarte de Oliveira, explicando sobre a nova metodologia de inovação que apresenta a experiência do projeto “Laboratórios Vivos”, que tem sua essência na participação de todos os envolvidos através do desenvolvimento de novos serviços e aplicações associadas às tecnologias de informação, pesquisa, comunicação e ciência.

O living labs é um ecossistema com parcerias entre quem faz inovação, quem cria conhecimento e instituições de pesquisas como empresas, financiadores, poder público, todos juntos em uma rede, trabalhando na troca de experiências com a perspectiva de desenvolver novas tecnologias, novos produtos, processos e serviços focados no cidadão. “Ao se integrar ao living labs, o Maranhão passa a ter acesso ao conhecimento e parcerias a nível internacional nas áreas que fazem sentido para o Estado”, disse Álvaro de Oliveira.

Para Àlvaro de Oliveira, o living labs e as perspectivas para o Maranhão crescem no campo da inovação social.  Ele falou sobre a dificuldade das micro e pequenas empresas em chegar até a Europa, EUA e até mesmo dentro do país e que, o living labs garante esse acesso a muitos parceiros. São 81 mil organizações envolvidas no living labs. “A rede ajuda nesse processo com novos mercados, acesso a tecnologia, além de apontar novos projetos que envolvem parcerias internacionais. A FAPEMA está no caminho certo e vai crescer muito com inclusão de editais no living labs”, afirmou o presidente da Rede Européia de living labs, Álvaro de Oliveira.

  Categorias: