Governo do Maranhão lança Programa de Residência em Ciências Agrárias

Governo do Maranhão lança Programa de Residência em Ciências Agrárias
março 09 10:20 2022
Autoridades do Governo com os residentes do Programa Institucional de Ciências Agrárias do Maranhão

Autoridades do Governo com os residentes aprovados no Programa Institucional de Ciências Agrárias do Maranhão. Foto: KG

Nesta terça-feira (8), no auditório do edifício João Goulart, o governador Flávio Dino lançou o Programa Institucional de Residência em Ciência Agrárias, iniciativa que busca apoiar a formação e a inserção no mercado de trabalho de profissionais egressos dos cursos de Agronomia ou Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal, Engenharia de Pesca, Medicina Veterinária e Zootecnia.

O programa de residência é coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura Pecuária e Pesca (Sagrima), com apoio da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) e da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema).

Durante a residência, o profissional recém-formado contará com a orientação de professores da UEMA e da UEMASUL e com supervisão de um técnico na unidade residente, fornecendo a oportunidade de atuação no mercado de trabalho, unindo teoria e prática.

“Nós temos várias relevâncias que estão constantes neste programa. A primeira delas é a relativa formação profissional, novos quadros, talentos, dirigentes, para o segmento tão importante que são as atividades no campo no Maranhão, abrangendo várias profissões. Outra relevância que eu destaco é a preocupação com o conhecimento, com a tecnologia, porque a produção de alimentos no Brasil cresceu muito em razão da atuação das nossas universidades e de instituições como a Embrapa. Então, quando estamos preparando mais profissionais e colocando-os em contato com empresas, com comunidades, com associações, nós estamos investindo naquilo que é fundamental para que a agricultura brasileira se fortaleça e se diversifique cada vez mais, que é exatamente a preparação desses jovens pesquisadores, profissionais. Menciono, também, que nós temos a preocupação ambiental, porque nós sabemos que a tecnologia é essencial para que nós tenhamos sustentabilidade ambiental nestas importantes atividades econômicas no Brasil, especialmente no Maranhão”, disse o governador Flávio Dino.

O secretário da Sagrima, Luiz Henrique Lula da Silva, pontua que o programa de residência irá viabilizar experiências em todas as regiões do estado, em 20 municípios maranhenses, com 17 unidades residentes.

“Estamos dando o pontapé inicial do Programa de Residência Agrária no Maranhão. É uma iniciativa da Sagrima em parceria com as universidades estaduais, a UEMA e a UEMASUL e, também, com a parceria importante da Fapema, que é responsável pela seleção dos alunos e pelo pagamento da bolsa de R$ 2 mil. A pretensão do programa é colocar no mercado de trabalho esses profissionais que estão saindo das universidades já com o desenvolvimento daquilo que aprenderam e se qualificaram no mundo acadêmico, colocando de maneira prática em experiências que nós iremos espalhar por todas as regiões do estado, em 20 municípios do Maranhão, com 17 unidades residentes. Portanto, nós queremos com esse programa qualificar esse profissional que tá saindo da universidade nos cursos da Agronomia, da Engenharia Agronômica, da Engenharia de Pesca, da Engenharia Florestal, da Zootecnia e da Veterinária, todos cursos que dialogam com o setor primário do Maranhão, uma vocação natural do estado que é a área de atuação da Sagrima. Nós iremos, nesta primeira etapa, preencher 37 vagas e até o final do ano queremos fechar as 100 vagas”, pontuou o secretário.

O diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Maranhão (Fapema), André Luis Silva dos Santos, afirma que a parceria junto à Sagrima possibilita aos profissionais assimilarem, aplicarem e aprenderem novas metodologias e técnicas.

“A gente vê com bons olhos essa ação, esse projeto com a Sagrima junto à Fundação, que é cruzado como um vetor para acessar esses alunos. E a questão aqui é distribuir no estado, nós temos uma capilarização para o interior. A gente tem alunos que estão aplicando o conhecimento que foi apreendido na universidade, mas ao mesmo tempo, aprendendo novas formas de fazer. A gente aprende mesmo é na prática, é no campo. Então, são formas de eles evoluírem, de se capacitarem com novas metodologias, novas técnicas que às vezes não têm na universidade e eles podem assimilar essas informações e, quiçá, empregar nestas empresas. E eu vejo como uma oportunidade, inclusive, para outras empresas se associarem a este programa e a gente poder fazer novas seleções com mais alunos”, afirmou o presidente da Fapema.

O reitor da UEMA, Gustavo Costa, ressalta que a elaboração do programa de residência atende reivindicações dos alunos recém-formados e viabiliza, além do aprimoramento de capacidades, a prestação de serviços ao Maranhão, que é socioeconomicamente ligado a estas áreas de formação.

“O Programa de Residência em Ciência Agrárias era uma reivindicação antiga dos profissionais recém-formados nos cursos de Agronomia, Veterinária, Zootecnia, Engenharia Florestal, Engenharia de Pesca, porque é uma ligação importante entre a formação e o mercado de trabalho, sobretudo, com o estado com as características socioeconômicas como o Maranhão. Desde o primeiro momento, a UEMA participou da elaboração desse programa e, juntamente com a Sagrima e outras instituições, tem absoluta certeza do êxito naquilo que se propõe esse convênio de articulação institucional. Tenho certeza absoluta que os nossos estudantes recém-formados terão a oportunidade de prestar esse serviço para o Estado do Maranhão e haverão não só de mostrar o seus talentos, aprimorar suas capacidades, mas principalmente, mostrar que esse programa é um acerto que veio para ficar”, ressaltou o reitor da UEMA.

 

Fonte: Agência de Notícias do Governo do Maranhão

  Categorias: