Gripe: é preciso saber mais sobre ela

Entrevista com a médica Maria dos Remédios F. C. Branco

Gripe: é preciso saber mais sobre ela
maio 02 08:00 2019

 

Por Silen Ribeiro

Foto principal: Internet

 

Em 2019, a campanha de vacinação contra a gripe teve início em 10 de abril e finalizará em 31 de maio. Ao contrário do que muitos pensam, essa doença pode não ser algo simples: de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), ela mata aproximadamente 650 mil pessoas por ano.

Foto: arquivo pessoal

Para saber mais sobre o assunto, confira a entrevista concedida à Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) pela médica, mestra em Saúde e Ambiente, doutora na área de Doenças Tropicais e Saúde Internacional, professora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e consultora Ad-Hoc da Fapema, Maria dos Remédios Freitas Carvalho Branco.

 

Em palavras bem simples, defina para nós o que é a gripe.

Gripe é uma doença causada pelo vírus influenza, caracterizada por febre de início súbito, dor no corpo, dor de cabeça, dor de garganta, tosse seca e prostração (falta de disposição).

 

Quais os principais sintomas da gripe e como tratá-la?

Os sintomas de gripe são: febre de início súbito, dor no corpo, dor de cabeça, dor de garganta, tosse seca e prostração (falta de disposição). O tratamento da gripe consiste em repouso, vitamina C, analgésicos/antitérmicos e o uso de um antiviral – oseltamivir ou zanamivir -, indicado em caso de ocorrência de complicações da gripe ou para pessoas que têm maior risco de apresentar complicações.

Existem grupos mais vulneráveis a essa infecção? Se sim, quais são eles?

Sim. Existem pessoas com maior risco de contrair gripe como as crianças, os idosos, as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), a população indígena, os doentes crônicos, a população privada de liberdade, os professores, os profissionais de saúde e os funcionários do sistema prisional.

Uma das principais formas de prevenção da gripe é a vacina. Fale-nos, por favor, sobre ela.

Como o vírus influenza sofre muitas mutações, todo ano é produzida uma vacina nova. Por este motivo, a vacinação contra gripe é anual. Além disso, quanto mais pessoas vacinadas na população, maior a capacidade de proteção da vacina.

Quem pode e quem não pode tomar a vacina?

Todas as pessoas a partir dos 6 meses de idade podem tomar a vacina contra gripe. Não devem ser vacinadas aquelas pessoas que estejam apresentando febre, assim como menores de 6 meses de idade e aqueles que tenham tipo reação alérgica grave a uma dose anterior da vacina contra gripe.

A vacina contra a gripe pode causar efeitos colaterais? Se sim, quais são os mais comuns?

Sim. Apesar da vacina contra gripe ser muito segura, ela pode causar efeitos colaterais, dentre eles os mais comuns são: dor, sensibilidade e vermelhidão no local da aplicação da vacina.

A quais locais as pessoas devem se dirigir para tomar a vacina contra a gripe?

A vacina contra gripe está disponível em todas as salas de vacinação da rede pública, municipal, estadual e federal.

Como médica, o que a senhora tem a dizer para as pessoas que ainda resistem em tomar a vacina contra a gripe?

No mundo hoje existe, de modo geral, uma adesão menor das pessoas à vacinação, por vários motivos. No caso da gripe, algumas pessoas alegam que logo após se vacinarem ficam gripadas. Entretanto, a vacina contra influenza utilizada no nosso País é constituída de vírus mortos. Assim, ela não pode causar gripe. Acontece que a gripe tem um período de incubação – intervalo entre a exposição ao vírus e o adoecimento – curto, de 1 a 4 dias. Portanto, a pessoa pode se vacinar enquanto está no período de incubação da gripe e adoecer logo após a vacinação. Devemos lembrar que as vacinas são responsáveis pelo aumento significativo de nossa expectativa de vida.

 

 

  Categorias: