Nº 28 – Linguagens da Arquitetura

setembro 01 16:40 2017

A Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) realizou em agosto passado, o julgamento do Edital Universal, que este ano, obteve um novo recorde de inscritos, totalizando 443 propostas submetidas, sendo 215 aprovadas.

A diretora-científica da Fapema, Silvane Magali Vale Nascimento, atribui o crescimento do número de inscrições à divulgação. “Houve um aumento de 25% na quantidade de submissões, em relação ao ano passado. A Fapema investe cada vez mais no acesso aos editais e nas visitas aos campos do continente para incentivar a participação dos pesquisadores”, justifica.

O Universal dispõe de recursos na ordem de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais), para financiar projetos de pesquisa científica e tecnológica, nas diversas áreas do conhecimento, desenvolvidos em instituições de pesquisa e/ou de ensino superior, públicas ou privadas, sem fins lucrativos, sediadas no Maranhão.

Em 2009, a Fapema lançou sua primeira edição. O Edital Universal é realizado pelas demais Fundações de Pesquisa nos outros estados, bem como pelo CNPq, que o instituiu, em 2007. Nesta edição da Revista Inovação damos destaque a uma série de pesquisas financiadas pelo Universal da Fapema. No artigo “O protagonismo dos pesquisadores na política de fomento à ciência, tecnologia e inovação no Maranhão”, o presidente da Fapema, Alex Oliveira, fala do Universal como “um espaço fundamental para que os pesquisadores proponham novas ideias e projetos, gerando um acúmulo na produção científica e valorização de suas descobertas. (página 06).

Da página 10 à página 35, o leitor terá acesso à leitura de reportagens sobre diversos temas da pesquisa Universal. Começamos por arquitetura com a divulgação da pesquisa “Arquitetura moderna e outras modernidades no Centro Histórico de São Luís do Maranhão”, da professora Grete Soares Pflueger; educação e tecnologia estão na pauta de linguagem de sinais “Os sinais maranhenses da Língua de Sinais Brasileira: contribuições para seu uso e difusão em ambientes digitais”, da pesquisadora Maria Nilza Oliveira Quixaba); exploramos a arqueologia com a exposição de um documento chamado “Carta arqueológica dos sítios tupi-guaranis na ilha de São Luís-Ma”, do pesquisador Alexandre Navarro; atual é a questão da acessibilidade em urbanismo com o estudo “As condições de acessibilidade urbana em São Luís para a pessoa com deficiência física: um olhar sobre a área central da capital maranhense” da professora Hermeneilce Wasti Aires; a produção de biodiesel vinculada à agricultura familiar é o tema da pesquisa “A inserção da agricultura familiar nas estratégias de produção do biodiesel no sul e sudoeste do Maranhão, coordenada pela pesquisadora Maria da Glória Rocha Ferreira; e ainda, uma minuciosa radiografia do Porto do Itaqui nas páginas que descrevem o trabalho do pesquisador Antonio José De Araújo Ferreira, em “Dinâmica e perspectivas do Itaqui: do sonho a projeto de integração regional brasileira na economia mundial contemporânea”.

Na página 38, falamos da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Maranhão (SNCT/MA), que este ano será na cidade de Imperatriz, de 19 a 22 de outubro. A iniciativa legitima a política do Governo do Estado de oferecer oportunidades a todos. A matéria da página 44, “UEMA realiza pesquisa para o manejo eficiente na cultura do milho”, trata de um estudo sobre produtividade na cultura do milho.

Esperamos que todos aproveitem e apreciem as informações da melhor forma possível. Até a próxima!

EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish