N° 35 – Sim, nós também fazemos ciência

N° 35 – Sim, nós também fazemos ciência
outubro 19 09:53 2018

Dedicamos esta edição inteiramente a pesquisas desenvolvidas por jovens que estão ocupando importantes espaços nas escolas e institutos estaduais de formação, sob a orientação de professores-pesquisadores.  Por acreditarmos em um futuro melhor para nossos jovens, na perspectiva de criação de uma nova geração ciência para o Maranhão, a FAPEMA apoia os projetos aqui divulgados com a certeza da legitimidade do investimento e dos frutos do seu resultado.

Os projetos são financiados pelos Editais da FAPEMA Juventude Com Ciência (contribui para o desenvolvimento de projetos de caráter extensionista que impulsionam para a melhoria de indicadores sociais); Com Ciência Cultural (apoia projetos para o desenvolvimento da capacidade artístico-cultural dos estudantes das escolas públicas); Geração Ciência (contribui para o processo de formação acadêmica dos estudantes de instituições públicas de ensino médio e técnico).

A partir da página (08) apresentamos reportagens sobre instigantes trabalhos coordenados por professores de escolas públicas que abordam desde metodologia do empreender a ciência – “Sim, nós também fazemos ciência” – , passando por incentivo ao engajamento social e político – “Participação de estudantes em grêmios fortalece protagonismo” –, a utilização de artes visuais no ensino e aprendizagem de alunos do Ensino Médio – “Artes visuais facilitam ensino e aprendizagem” –  e ações para evitar o desperdício de água – “Estudantes reutilizam água descartada de condicionadores de ar”.

A Secretaria de Estado Extraordinária da Juventude também ocupa um papel determinante em articular políticas públicas direcionadas aos jovens. Sem esquecer o olhar especial dirigido às mulheres. Na página 12, a secretária Tatiana Pereira fala, dentre outras coisas, sobre os programas executados pela Seejuv, em colaboração com outras secretarias e parcerias com o Governo Federal.

Gostaríamos de citar também as iniciativas sistemáticas do Governo do Estado com o objetivo de transformar a educação básica e elevar índices educacionais. Este investimento é uma forma de garantir que crianças atinjam mobilidade social por meio do acesso à educação. A implementação de programas como Escola Digna (reforma e construção de 820 escolas beneficiando especialmente comunidades mais carentes e isoladas). Visando suprir necessidades desses povoados, foram entregues mais de 80 ônibus escolares para garantir a mobilidade de estudantes até a escola. O Programa Sim, Eu Posso, é responsável pela alfabetização de 26.497 mil pessoas. A efetivação da educação integral e do ensino profissionalizante e tecnológico é comprovado com a instalação de 90 polos de formação continuada (cursos FIC), 13 unidades de Educação Integral – IEMA’s Plenos (com ensino médio e cursos profissionalizantes) e 13 Unidades Vocacionais (formação técnica). Foram criados no total, 40 (quarenta) unidades de educação em tempo integral, ainda em 2018 (IEMA’s e rede SEDUC), além da criação de uma nova Universidade Regional, a UEMASUL.

A reunião de esforços e estratégias em direção à garantia de formação qualificada aponta para um horizonte em que a ciência é um passaporte para um mundo de realizações pessoais e profissionais da juventude do Maranhão.

Boa leitura!

  Categorias: