Jacarandá é utilizado na redução do tempo de cicatrização de roedores diabéticos

Jacarandá é utilizado na redução do tempo de cicatrização de roedores diabéticos
maio 21 14:59 2015

0JacarandaEstudo da ação cicatrizante e anti-inflamatória de Jacaranda decurrens Cham em roedores normoglicêmicos e diabéticos verificou que a formulação tópica com o extrato hidroalcoólico da planta reduziu o tempo de cicatrização nos roedores em relação ao grupo controle tratado com solução salina. A pesquisa, coordenada pelo professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Antônio Carlos Romão Borges, está sendo conduzida com a colaboração de alunos de graduação, alunos de mestrado e doutores, visando alcançar os objetivos diretamente relacionados ao estudo, geração de tecnologia e formação de recursos humanos.

“As limitações dos medicamentos já existentes nos impulsionaram a estudar a espécie em questão, pois é uma planta presente no bioma cerrado, podendo ser encontrada no Estado do Maranhão, e que apresenta uso popular com finalidade anti-inflamatória e cicatrizante, apresentando em sua composição química substâncias que estão potencialmente associadas ao processo de cicatrização. Vale ressaltar que este é o primeiro estudo com a Jacaranda decurrens Cham em roedores diabéticos”, disse Romão.

O professor observa que nos hospitais são muitos os casos de feridas com dificuldade de cicatrização decorrentes de diferentes causas (diabetes, infecções, utilização de corticóides e condições nutricionais), o que acarreta grandes gastos para os hospitais, pois retardam muito a liberação do paciente. Em geral o tratamento é realizado com técnicas de controle da doença e com a assepsia do local.

 “É necessário acompanhar e incorporar as novas tecnologias e técnicas que propiciam tratamentos mais modernos que a ciência tem descoberto e que aceleram a cura de diversas doenças, minimizando o sofrimento dos pacientes e reduzindo a mortalidade e os custos dos tratamentos. Desta forma, nos últimos anos, tem-se evidenciado um crescente aumento no estudo de plantas preconizadas pela medicina popular, em função da facilidade de acesso, do baixo custo e da compatibilidade cultural com as tradições populares”, diz.

Camundongos submetidos ao experimento também apresentaram regressão considerável da lesão (36%) após 24 horas da primeira aplicação, comparado ao controle (10,95%). “Outras características como redução da inflamação, migração fibroblástica, reepitelização, formação de novos vasos e acentuada colagenização foi possível de ser observado nos grupos tratados com este produto”, revelou o professor.

O estudo, que tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), segundo Antônio Romão, possibilitou o registro de patente “FORMULAÇÃO TÓPICA DAS FOLHAS DE Jacaranda decurrens CHAM, SUAS COMPOSIÇÕES FARMACÊUTICAS E SEU USO” com o registro nº BR1020130328189.

O estudo contribuirá com geração de conhecimento a cerca de um material vegetal já utilizado pela população, além da prospecção tecnológica, que poderá motivar novos estudos, visando a produção de medicamentos a fim de melhorar a qualidade de vida de pacientes que apresentem deficiência no processo de cicatrização.

“Ao final do trabalho pretendemos publicar os resultados em periódicos internacionais, apresentar em congressos e workshops, bem como contribuir para a formação de recursos humanos e gerar outras patentes”, contou o professor.

 

  Categorias: