Marcha Virtual ressalta importância da ciência na pandemia

Marcha Virtual ressalta importância da ciência na pandemia
maio 06 12:46 2020

“Queremos mobilizar a sociedade a debater o desafio que temos pela frente diante dessa pandemia do coronavírus”, diz o presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira, sobre o objetivo da Marcha Virtual pela Ciência no Brasil. A mobilização será realizada na próxima quinta-feira, 07 de maio. Com atividades transmitidas pelas redes sociais da SBPC (@SBPCnet) ao longo do dia, a manifestação chama a atenção para a importância da ciência no enfrentamento da pandemia de covid-19 e de suas implicações sociais, econômicas e para a saúde das pessoas.

Moreira destaca que cientistas do mundo todo, inclusive os brasileiros, estão envolvidos na resolução desse problema como – produção de materiais de segurança, novos equipamentos, pesquisas para verificar o contágio, produção de testes diagnósticos, análise do código genético, a perspectiva de fazer uma vacina. Apesar dos cortes orçamentários, das dificuldades de infraestrutura, da falta de insumos e de recursos, os pesquisadores brasileiros têm conseguido apresentar respostas rápidas para a sociedade em relação ao novo coronavírus.

Para ele, se as universidades e instituições tivessem uma infraestrutura mais adequada, os resultados poderiam ser melhores e a percepção social sobre a gravidade dessa crise sanitária seria maior. “Certamente, se o Brasil tivesse oferecido melhores condições nos últimos anos às instituições, universidades, laboratórios, ao Sistema Único de Saúde, a gente poderia enfrentar essa pandemia em melhores condições”, afirma. Moreira explica que questões como produção de fármacos e vacinas requerem tempo e investimento, pois envolvem um processo construtivo que não se resolve de um dia para outro. Mas ressalta que cientistas brasileiros e do mundo inteiro estão trabalhando incansavelmente neste desenvolvimento.

Outro problema enfrentado pela sociedade, aponta o presidente da SBPC, é a postura desalinhada das autoridades. “Queremos discutir o papel do poder público, já que muitas vezes as medidas sugeridas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e outros organismos internacionais e estudos científicos, não estão sendo seguidos. Estamos diante de autoridades que às vezes não levam em conta as medidas essenciais que devem ser tomadas, como, por exemplo, isolamento social, fornecimento de testes em quantidade adequada, garantia de condições de segurança para profissionais de saúde. Isso torna a pandemia um problema ainda maior no Brasil”.

Além de debater a situação da ciência brasileira, que tem sofrido uma redução drástica dos recursos que seriam, inclusive, cruciais no enfrentamento dessa grave crise sanitária e econômica, a Marcha Virtual pela Ciência vai discutir as formas como a ciência pode colaborar, os impactos da pandemia na saúde, na economia, na educação, na vida das pessoas, e quais caminhos para enfrentamento dessas consequências são mais adequados a serem seguidos aqui no Brasil.

Moreira disse ainda que durante a manifestação, a SBPC irá reiterar os termos do PACTO PELA VIDA E PELO BRASIL, publicado em 7 de abril. O documento, elaborado pela CNBB, OAB, Comissão Arns, ABC, ABI e SBPC e que ganhou apoio de mais de uma centena instituições e associações, pede a união de toda a sociedade, solidariedade e conduta ética e transparente do governo, tomando por base as orientações da ciência e dos organismos nacionais e internacionais de saúde pública no enfrentamento da pandemia de coronavírus.

Entre as atividades organizadas por instituições de todo o País, a SBPC e as mais de 70 sociedades científicas envolvidas, dentre elas, Academia Brasileira de Ciências (ABC), Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG), Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), que organizam e apoiam a Marcha realizarão dois painéis de debates no dia 7 de maio – um dedicado à pandemia da covid-19 e o outro abordando o financiamento da ciência brasileira.

A mobilização também conta com o apoio de várias universidades, dentre elas a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). As Secretarias Regionais da SBPC, bem como universidades e demais instituições científicas locais, também promoverão atividades direcionadas às suas regiões de abrangência.

Além dos seminários online, as entidades promovem duas ondas de tuitaços no dia, um às 12h e outro às 18h, com as hashtags #paCTopelavida e #FiqueEmCasacomaCiência.

Veja aqui como você e sua instituição podem participar da Marcha Virtual Pela Ciência.

Fonte: Viviane Costa (Jornal da Ciência)

  Categorias: