Ministro acompanha lançamento do Centro de Alcântara

Ministro acompanha lançamento do Centro de Alcântara
agosto 14 12:09 2009

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão (MA), realizou ontem (13), com sucesso, o segundo lançamento do Foguete de Treinamento Básico (FTB). A operação, denominada de FogTrein 1, foi acompanhada pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende. O objetivo da operação é lançar e rastrear dois foguetes FTB, além de capacitar profissionais para a operacionalização dos equipamentos do CLA e do CLBI, este localizado no Rio Grande do Norte. O primeiro lançamento ocorreu na segunda-feira (10). Assinatura_convenio_CLA

Após a operação, o ministro Rezende e os integrantes da comitiva assistiram a apresentação do major brigadeiro do ar Ronaldo Salamone Nunes, comandante do Centro de Tecnologia Aeroespacial (CTA), que falou sobre a evolução e as características do CLA. O ministro destacou a qualidade das instalações e o trabalho realizado no Centro. Segundo ele, o Brasil acumula conhecimento e condições para dar prosseguimento ao Programa Espacial.

Rezende destacou a necessidade da busca de novas parcerias e acordos de cooperação internacional. Para ele, o acordo com a Ucrânia, que resultou na consolidação da empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS), é um exemplo a ser seguido. “Temos que seguir em busca de parceiros que tenham as mesmas preocupações e objetivos que o Brasil, que investe na produção e no lançamento de foguetes. Tenho certeza que essa cooperação com a Ucrânia será de longa duração”, disse.

O lançamento do FTB também foi acompanhado pelo secretário executivo do MCT, Luiz Antonio Rodrigues Elias,  pelo presidente da Agencia Espacial Brasileira (AEB/MCT), Carlos Ganem, e por engenheiros da empresa Avibras, da AEB, do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI).

Infraestrutura

Já em São Luís (MA), o ministro reuniu-se com a governadora do estado Roseana Sarney. No encontro foi assinado um convênio de recuperação da estrada entre o povoado de Cujupe e o Centro de Lançamento de Alcântara. Serão executadas obras no trecho de 11 quilômetros, entre o CLA e a Rodovia Estadual MA 106, e de 47 quilômetros, da mesma via, ligando à cidade de Alcântara. A melhoria nas vias de transporte é estratégica, pois vai facilitar o transporte de foguetes e peças que chegam ao porto de São Luis. O MCT, por meio da AEB, vai investir R$ 30 milhões. 

O ministro destacou que além de investimentos em infraestrutura o Ministério busca viabilizar programas sociais em Alcântara, de forma que a comunidade também Assinatura_convenio_CLA_2possa usufruir do progresso tecnológico levado pelo Programa Espacial para a região.

Programa Espacial

O investimento em atividades espaciais no Brasil trouxe benefícios dos mais diversos: pesquisas de novos medicamentos, materiais e equipamentos eletrônicos, cartografia com a utilização de satélite, imagens em tempo real da localização de queimadas e desmatamento, e informações meteorológicas.

Os foguetes são um pilar do programa espacial brasileiro, desde sua criação em 1961. O primeiro deles, um Nike-Apache, foi lançado em 1965, do Rio Grande do Norte. De lá para cá, centenas de foguetes foram lançados, tanto do CLBI quanto do CLA.

O CLA foi construído na década de 80. Sua instalação deu ao Brasil a possibilidade de lançar, a partir do próprio território, foguetes de sondagem e veículos lançadores de satélites.

A partir da criação da AEB, em 1994, a comunidade científica foi estimulada a participar no desenvolvimento de pesquisas. Neste sentido, a Agência criou os programas Microgravidade e Uniespaço, destinados a fomentar projetos de pesquisas de interesse, tanto de universidades, como do setor espacial.

Em todo o mundo, menos de uma dezena de países lançam foguetes, e pouco mais de 20 nações desenvolvem satélites. O que elas têm de vantagem, e o Brasil se inclui nesta lista, é poder usar essa tecnologia para atender de maneira autônoma as suas prioridades nacionais.

  Categorias: