Pesquisadora aposta na formação de professores para ensino de Nanotecnologia

Pesquisadora aposta na formação de professores para ensino de Nanotecnologia
junho 02 16:31 2014

Ananotecnologia-20121220134612A Nanotecnologia, chamada de revolução invisível, vem causando polêmica no mundo da ciência.

Muitos estudiosos estão apostando nessa nova descoberta para a solução de vários problemas, de ambientais, como a falta de água, até sociais, como a exclusão digital.

Já outros se atêm aos males que a novidade pode trazer para o mundo.

Este foi exatamente o questionamento que fez a Profª Dra. Maria Consuelo Alves Lima realizar, com o apoio da FAPEMA, a pesquisa “Nanociência e Nanotecnologia: Abordagem da Física Moderna e Contemporânea na Licenciatura em Física”, que toma como recorte a Nanociência e a Nanotecnologia.

Durante o estudo, ela propôs um trabalho com conteúdos de Física Moderna e Contemporânea com alunos do curso de Licenciatura em Física.

“Neste trabalho, foram utilizadas estratégias que permitem ao professor compreender as relações mútuas existentes entre a ciência, a sociedade e a tecnologia, e que lhes possibilitem desenvolver a habilidade de promover discussões em sua sala de aula. explicou.

“Dessa forma, eles podem contribuir para a formação de cidadãos que possam compreender e atuar em questões presentes na sociedade contemporânea”, completa Consuelo Alvez.

A pesquisadora sugere que as discussões sobre ciência e tecnologia ultrapassem o âmbito científico e comecem a fazer parte das preocupações da sociedade em geral.

“O cientista quer descobrir, fazer algo novo. Ele não está muito preocupado, de modo geral, onde aquilo será aplicado.Apesquisadora ok

Quem faz isso são as empresas, que querem lucrar. Então, se a sociedade não estiver preparada ao ponto de participar de debates, questionar, se posicionar a qualquer instante da vida sobre Nanociência e Nanotecnologia, será um caos. E quem irá nos preparar?”, questiona.

Segundo ela, é fundamental que o ensino da Física na escola básica não fique só nas teorias clássicas de Newton.

A proposta era analisar a forma como os professores em formação apreendem essas noções.

Para tanto, foram analisadas as aulas desses professores, procurando verificar se e como as noções apreendidas foram trabalhadas em suas salas de aula.

“Entre as contribuições desta pesquisa, esperamos colaborar para que professores de Física do Ensino Médio e do Ensino Fundamental da escola pública se posicionem em relação a alguns dos problemas que enfrentam em sala de aula e reconheçam soluções que os possibilitem a se envolverem com as questões e se sintam confiantes para discuti-las e, provavelmente, resolver alguns dos problemas”, detalhou a pesquisadora.

A proposta da pesquisa não é traduzir a Física observada no cotidiano das pessoas, mas, sim, fazer com que as pessoas reflitam sobre as novas tecnologias.

“As pessoas acreditam que Ciência e Tecnologia são só utilizadas para o bem. No entanto, elas são utilizadas de diferentes formas. Daí a importância de se trabalhar com os professores para que eles tenham consciência disso, de que é importante que os futuros cidadãos saibam se posicionar com relação a isso, afinal a Ciência e Tecnologia estão o tempo todo inseridas em nossa vida”, concluiu.

  Categorias: