Plano de Trabalho 2021 da FAPEMA prevê investimentos de R$ 40 milhões

Lançado nesta quarta-feira (10) o plano norteia as linhas de trabalho e os investimentos na área da ciência, tecnologia e inovação; cerca de 40 editais devem ser lançados ao longo do ano.

Plano de Trabalho 2021 da FAPEMA prevê investimentos de R$ 40 milhões
março 10 18:35 2021

Em solenidade realizada nesta quarta-feira (10), por meio de transmissão on-line no canal oficial do Youtube da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), o diretor-presidente da Fapema, André Santos, apresentou o Plano de Trabalho que irá nortear as ações da instituição para o ano de 2021, destacando os editais previstos. Antes de iniciar os pronunciamentos das autoridades, a Fundação dedicou um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da Covid-19 no Brasil e no Maranhão.

Com o tema “Fortalecendo a Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão”,  o Plano de Trabalho – que prevê investimentos de 40 milhões nas áreas da ciência, tecnologia e inovação e lançamento de cerca de 40 editais, contemplando pesquisadores maranhenses de diferentes áreas de atuação no decorrer deste ano -, fundamenta-se em torno da manutenção das quatro linhas de ação (Mais Ciência, Mais Inovação, Mais Qualificação e Popularização da Ciência) e de programas que são operados por meio de editais, estruturados de acordo com os interesses estratégicos do estado do Maranhão.

A assessora de Planejamento e Ações Estratégicas da Fapema, Kiany Cavalcante, deu boas-vindas a todos os presentes, destacou a satisfação em fazer parte da equipe executora dos editais da instituição e aproveitou o momento para parabenizar as pesquisadoras do Maranhão em alusão à semana de comemoração ao Dia Internacional da Mulher. “Estamos diante de um plano de trabalho que foi pensado com muito carinho, junto com a diretoria e equipe executora de forma linear, mesmo com as dificuldades econômicas gravadas pela pandemia. Esperamos que todos tirem um bom proveito desse plano”, declarou.

O diretor-científico da Fapema, Joao Batista Bottentuit Júnior, pontuou que o lançamento do plano se torna um alento em esperança de dias melhores em meios a tantas notícias que assolam o Brasil e o mundo desde o ano passado. “O plano possibilita que diversos alunos, professores e pesquisadores possam colocar em prática seus projetos, bem como dar continuidade às pesquisas já iniciadas. Sem sombra de dúvidas é uma forma pela qual as universidades podem se fortalecer e que o Maranhão possa despontar para essas iniciativas. Alegra-nos em termos oportunidades como essa de extrema importância para nosso estado”, enfatizou.

O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão, Davi Telles, enalteceu o plano de trabalho sobre sua importância de ser lançado na semana “em que a democracia foi reafirmada com dois julgamentos do Supremo Tribunal Federal retomando os direitos políticos de uma figura perseguida durante anos por, dentre outras coisas, investir maciçamente em ciência”. Segundo ele, é preciso que haja a reafirmação do iluminismo e das revoluções cientificas que marcaram a humanidade e o Maranhão. “Ciência, democracia, direitos individuais estão profundamente vinculados. É um patrimônio civilizatório da humanidade. O Governo do Flávio Dino não arredou um milímetro desse Patrimônio da Humanidade. O Governo do Maranhão nesses seis anos de crise fez enormes esforços para continuar investindo em ciência e dar seguimento neste patrimônio. A Fapema é deste modo uma reafirmação do nosso projeto político e de existência. Uma manifestação de natureza política. Nós braveamos continuamente uma voz de respeito à ciência, à tecnologia, à inovação e de melhores dias para a humanidade”, sinalizou.

“Presidente André, parabéns por conduzir de maneira responsável, correta, adequada, a Fapema neste momento difícil pelo qual o Brasil e, portanto, também o Maranhão, atravessa. Parabéns aos pesquisadores e às pesquisadoras do Maranhão que nesta semana em que se comemora a luta das mulheres por inclusão e igualdade. Parabéns a todos que lutam pela ciência, tecnologia e inovação e que nós possamos vislumbrar um futuro próximo de dias mais felizes para todos nós por conta da vacina”, completou Davi Telles.

Participaram e acompanharam a solenidade virtual, reitores, pró-reitores, pesquisadores, professores, estudantes de todos os níveis de ensino e a sociedade em geral. O Plano de Trabalho já está disponível para download no site da Fapema, acesse: www.fapema.br.

Antes da apresentação do plano de trabalho, André Santos, reforçou que, no Maranhão, a maioria dos pesquisadores são mulheres e iniciou falando que é urgente que as ações possam ser intensificadas tendo em vista que o país ainda não chegou em 5% e há vários leitos ocupados de aproximadamente 80%, já alcançado o patamar de quase 300 mil mortes. “Nós acreditamos que os editais que estamos lançando vão fortalecer a CTI do nosso estado. Apresento as ações e os investimentos capilarizados em cada uma das mesorregiões. Temos editais: Cooperação Internacional, Cidadão do Mundo, Inova Maranhão, Tecnologia Social, Inovação em Gestão Pública, Políticas Públicas, Qualificar para Pesquisar, Prolab, Mais Pesquisa e Mais Divulgação”, comentou.

Além desses editais, André Santos destacou também os voltados para a juventude como o Geração Ciência e Juventude Com Ciência em parceria com as Secretarias da Juventude e dos Direitos Humanos e Participação Popular, o Estágio Nacional e Internacional, um edital de convênio com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) que é o Centelha II, Startups e ainda dois editais inéditos que não foram possíveis de ser implantados no ano passado por conta da pandemia que é o Professor Cidadão do Mundo e o de Cadeia Produtiva do Couro.

“Daremos continuidade também à segunda edição do edital de enfrentamento e combate à Covid-19. Vamos voltar a ter as bolsas de produtividade, vamos implantar também bolsas de apoio técnico aos laboratórios que são nosso plano desde 2020 e editais como Med Saúde, Veterinária e a nova roupagem do edital Inácio Rangel. Um edital que solicitamos atualização por conta da pandemia e estamos incentivando que aconteça de modo remoto é o de realização e participação em eventos. Se for possível vamos realizar junto com a SECTI a Semana de Ciência e Tecnologia e temos, também, o Prêmio Fapema que é o Oscar da Ciência no Maranhão. Muitos dependerão da persistência ou não da pandemia para serem lançados”, elencou o presidente da Fapema.

NOVIDADES

Devido à pandemia, a Fapema desenvolveu várias ações de fortalecimento institucional para melhorar os fluxos internos nos trâmites administrativos bem como as ações de comunicação com os pesquisadores e a sociedade mostrando o resultado das pesquisas e com outros órgãos, sejam estaduais e de esfera federal. “Quero dar destaque a três ações especificas e importantes: o assinador eletrônico, a redução de papéis nos processos da instituição e a transparência e publicidade das ações através da Plataforma Buriti. Além dos novos programas de divulgação e disseminação nas mídias sociais de tudo que os pesquisadores tem feito no Youtube, Instagram e no nosso site. Aproveito para pedir que nos ajudem também na divulgação para assim, popularizarmos ainda mais a ciência no estado”, disse.

LINHAS DE AÇÃO

Para a linha de trabalho “Mais Inovação” estão previstos recursos superiores a R$ 9 milhões. Eles serão distribuídos em programas como o de Cooperação Internacional, Cidadão do Mundo, Tecnologia Social, Inova Maranhão e Inovação em Gestão Pública.

Os investimentos da FAPEMA na linha de ação “Mais Qualificação” são ainda mais robustos: mais de R$ 21 milhões. No âmbito dessa linha estão os programas “Qualificar para Pesquisar”, que visa estimular a qualificação de estudantes e pesquisadores maranhenses e o programa “Políticas Públicas”. Este visa estimular a atração de recursos humanos, qualificados e com experiência profissional em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I).

Para a linha de ação “Mais Ciência” estão previstos, para este ano, investimentos da ordem de R$ 7,1 milhões com o objetivo de fomentar o desenvolvimento cientifico, tecnológico e de inovação, apoiar projetos que centralizem as ações de Ciência, Tecnologia e Inovação e promover o aumento da base de conhecimento em Instituições de Ensino Superior (IES). Os recursos serão distribuídos entre os programas Mais Pesquisa e PROLAB.

  Categorias: