Secti promove seminário do Centro Ignácio Rangel de Estudos do Desenvolvimento

abril 10 13:59 2017

ignacio-rangel-palestraFoi realizado na tarde da última sexta-feira, dia 07, no auditório da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), o primeiro seminário promovido pelo Centro Ignácio Rangel de Estudos do Desenvolvimento, com o tema “Pensamento Desenvolvimentista no Brasil”. O evento foi ministrado pelo professor Luiz Fernando de Paula, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Segundo o professor Raimundo Palhano, consultor do projeto, o momento é muito importante. “O seminário dá sequência ao Centro, que é uma iniciativa fundamental, pois ela retoma no nosso estado uma discussão com especialistas e pesquisadores sobre o nosso presente e futuro, e que desafios temos que enfrentar, o debate é muito rico neste sentido. Esse momento aborda as ideias desenvolvimentistas no Brasil. A vinda desses debates para nós melhora e qualifica as políticas públicas para o Maranhão”, explicou.

“Esta iniciativa visa trazer jovens doutores para pensar o desenvolvimento do Brasil e do Maranhão e uma oportunidade ímpar para a Fapema, que apoia o edital. Então, é uma alegria enorme para nós contribuir na qualificação e na discussão em uma área que é tão necessária para o desenvolvimento do país”, destacou o presidente da Fapema, Alex Oliveira.

Para o professor Luiz Fernando de Paula, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, contribuir com o debate no âmbito do Centro Ignácio Rangel tem um grande significado. “O seminário faz parte de nossas atividades, este é apenas um de vários que estão sendo organizados para debater sobre a temática do desenvolvimento. Neste momento o foco é a procedência do movimento desenvolvimentista no Brasil e como se deu o desenvolvimento até os dias de hoje”, contou.

O estudante de mestrado em engenharia aeroespacial pela Universidade Estadual do Maranhão Breno Rocha ressaltou que o Governo do Estado acerta na oferta de debates como esse. “Estamos acompanhando o movimento do Governo do Maranhão através da Secti e o diálogo com o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) bastante forte para aperfeiçoar o programa aeroespacial brasileiro, acredito que essas discussões são muito favoráveis”, ressaltou.

O Centro Ignácio Rangel tem o objetivo de apoiar e difundir a obra de Ignácio Rangel através de programas, projetos e eventos e constituir acervo de memória oral sobre os temas afins do Centro: economia, educação, ciência e questões agrárias e territoriais do Maranhão. A produção de pesquisa no âmbito do Centro se dará por meio de uma política de fixação de recém-doutores nas três grandes instituições de pesquisa do Estado – Uema, Uemasul e Ufma.

Dentre os que participaram do evento estão o professor Elias Jabor, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, a doutora Clay Lago, presidente do Instituto Jackson Lago, e Ana Rangel, sobrinha do economista que patroneia o Centro Ignácio Rangel.

 

  Categorias: