Trabalho na área de biologia vegetal leva pesquisador a ser homenageado pela Fapema

Trabalho na área de biologia vegetal leva pesquisador a ser homenageado pela Fapema
janeiro 24 15:43 2020

Natural de Pernambuco, o professor Eduardo Bezerra de Almeida Jr. chegou ao Maranhão em 2011, tendo sido aprovado em concurso público realizado pela Universidade Federal do Maranhão. À época, a UFMA precisava de um taxonomista vegetal para o curso de Biologia, e o professor Almeida Jr. precisava de um campo de atuação para seus projetos.

“Fui acolhido pela Universidade Federal do Maranhão de forma muito generosa. Senti-me abraçado pelos colegas, setores administrativos e por todos os alunos. Foi então que percebi que eu precisava me entregar a São Luís, me libertar de meus receios e me dedicar à profissão de corpo e alma, que é uma grande paixão”, relembrou o docente.

O caminho percorrido por Almeida Jr. na dedicação à biologia vegetal vem de longos anos. Graduado em licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE, ele possui mestrado nas áreas de Botânica, com ênfase em florística e fitossociologia de restinga. Já no doutorado, dedicou-se ao estudo das maçarandubas, plantas típicas do Nordeste, porque visava se aprimorar mais ainda na área de taxonomia vegetal. Chegando ao Maranhão, ele ministrou diversas disciplinas no curso de Biologia da UFMA e abraçou cada desafio como um pai abraça um filho e, de mãos dadas, conseguem aprender juntos.

“Sempre tive grandes experiências com meus alunos da Universidade. Eles me ensinam mais que eu a eles. Dar aula fora de São Luís também se tornou um desafio interessante, pois eu queria conhecer a realidade da educação; fazer e dar as contribuições que eu achava pertinente, colaborando com as melhorias para os estudantes e para o estado. Hoje tenho grandes amizades graças à vivência com todas essas pessoas que passaram por minha vida e fizeram meu trabalho ter um outro significado, ainda mais bonito”, contou emocionado.

Eduardo foi chefe do departamento de Biologia da UFMA em 2015. Atualmente, atua como coordenador do Programa de Mestrado em Biodiversidade e Conservação, tendo a colaboração do professor Jorge Nunes na vice-coordenadoria. “É um grande desafio. Prazeroso, mas também difícil, pois entrei numa fase complicada para a educação no país, tanto que corremos o risco de perder as bolsas para os novos alunos inscritos em 2020. Hoje mantemos oito alunos bolsistas desde 2019, que permanecerão recebendo o benefício até fevereiro de 2021, quando terminam o mestrado”, destacou o professor, que, por sua atuação ativa à frente de tais projetos valorosos da Universidade Federal do Maranhão, foi um dos destaques do prêmio FAPEMA 2019.

Em sua 15ª edição, das 24 categorias, a UFMA foi contemplada com 15 troféus, além do Prêmio Especial de Honra ao Mérito entregue ao professor Eduardo Almeida Júnior pelo trabalho desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Conservação (CCBS) da UFMA. A premiação, organizada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), também homenageou a Farmacêutica e Bioquímica Terezinha Rêgo, do departamento de Farmácia, reconhecida internacionalmente.

“O edital do prêmio FAPEMA é algo esperado durante todo o ano por nós, pesquisadores. Foi uma grande honra ser reconhecido pelos trabalhos realizados na área da botânica, que estão em sintonia com o legado da Dra. Terezinha Rêgo, fonte de inspiração para todos nós. Fui chamado logo após o vídeo de abertura e tomei um susto, porque, de fato, não esperava. Até hoje estou lisonjeado pelo fato de a FAPEMA ter reconhecido o trabalho que nós, da Universidade Federal do Maranhão, temos realizado nos estudos com plantas no estado”, relembrou o docente, que já participou de outras edições na categoria Pesquisador Sênior e como orientador do aluno Hynder Lima, vencedor do primeiro lugar na categoria Pop Vídeo Ciência no ano de 2018, com o título “A Importância da Identificação e Catalogação para Assegurar Pesquisas Biotecnológicas”.

O docente falou que, além do reconhecimento científico, percebe essa premiação como o abraço do Maranhão por tudo que vem realizando em parceria com a Universidade. Ele afirmou estar feliz com a homenagem por ser taxonomista botânico e, por esse fato, poder contribuir com as áreas de Farmácia, Química, Biologia Animal, Genética, entre tantas outras.

“Geralmente, o botânico não possui uma visibilidade de destaque, é muito difícil darmos a importância que o vegetal merece. Só que nos esquecemos que comemos planta todos os dias. A gente não percebe que a base alimentar do prato brasileiro (feijão e arroz) é planta. O álcool que abastece os automóveis e tem tantas utilidades vem da cana, que é planta. Os princípios ativos para a fabricação de remédios são extraídos das plantas. A roupa é feita de algodão. A madeira para a construção e fabricação de móveis é planta. Abraçar essa realidade é ser sensível aos recursos que nos cercam e que precisam ser preservados e utilizados de maneira consciente. Precisamos caminhar de mãos dadas pelo bem comum, perceber que juntos todos ganhamos e que cada um terá seu espaço e seu momento de brilhar”, relatou.

Emocionado, ele contou que, ao receber o prêmio, enquanto retornava para o seu assento, recebeu a mensagem que dizia “Não é qualquer um que é homenageado. A FAPEMA escolheu três pessoas que se destacaram nos estudos com plantas no Maranhão e entre esses, nada mais justo que estar o professor Eduardo, que é um grande parceiro e merece todo esse reconhecimento”. “A mensagem foi enviada pela professora Flávia Nascimento, atual diretora de Pós-Graduação da Pró-Reitoria da Agência de Inovação, Empreendedorismo, Pesquisa, Pós-Graduação e Internacionalização (Ageufma), uma pessoa que nos inspira e por quem tenho profundo respeito. Ela é docente permanente dos Programas de Pós-Graduação em Biotecnologia (Renorbio) e em Ciências da Saúde da UFMA e sabe bem do que estava falando, pois foi vencedora do Prêmio Fapema 2014”, concluiu.

Sobre o homenageado

Eduardo Bezerra de Almeida Jr. é licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE (2003), mestre em Botânica (2006) e doutor em Botânica (2010) pela UFRPE. Foi chefe do Departamento de Biologia da UFMA, de 2015 a 2018. Atualmente, é coordenador do Programa de Pós-graduação em Biodiversidade e Conservação. Ele atua nas áreas de Botânica, com ênfase em florística e fitossociologia de restinga, fenologia, e taxonomia de Sapotaceae (Manilkara).

 

Fonte: Ascom/UFMA

Texto:  Emerson Araújo

Foto: Arquivo/FAPEMA

  Categorias: