Acervo bibliográfico da Baixada Maranhense irá agrupar a produção científica da região

Acervo bibliográfico da Baixada Maranhense irá agrupar a produção científica da região
maio 27 20:16 2014

DSC 4206Através do edital Rede de Pesquisa da Baixada – REBAX, a FAPEMA apoia projetos que ajudem a fortalecer e consolidar a formação de recursos humanos e a produção de conhecimentos, favorecendo o desenvolvimento sustentável da Baixada Maranhense.

Um desses projetos, o Biblioteca Digital da Baixada Maranhense, desenvolvido pelo doutor Sérgio Figueiredo Ferreti, tem como foco agrupar a produção científica existente sobre o assunto e disponibilizá-la online.

“A Biblioteca pode ser entendida como um lugar democratizante a partir do levantamento da produção acadêmica acerca dessa microrregião, bem como da construção de um banco de dados estratégico sobre a memória social dessa localidade”, explica o pesquisador, Ferreti.

Sérgio salienta ainda que a reunião e disponibilização desse material pode ser um fundamento sólido para a produção de conhecimento acerca da região.

A Biblioteca Digital vai destacar a existência dessa riqueza por meio de um vasto material de arquivo e de acervo particulares e públicos disponíveis nas diferentes cidades da microrregião.

O professor Ferreti conta com a ajuda de seis estudantes de graduação, o grupo de pesquisa está inventariando todas as obras já produzidas nos cursos de Ciências Humanas que tratam sobre os municípios da Baixada Maranhense ou sobre a própria região.

“Para reunir esses autores, está sendo feito um processo de revisão bibliográfica, envolvendo graduação e pós-graduação”, comenta Ferreti.

“Depois desse inventário, vamos partir para a segunda parte que é a digitalização e a disponibilização no site”, esclarece Raimundo Inácio Souza Araujo, vice-coordenador do projeto.

Outro ponto interessante observado durante o inventário é que, como integrantes da Baixada, os pesquisadores têm encontrado com frequência referências aos municípios de Alcântara, Bequimão e Cururupu.

“Estes municípios não fazem parte da Baixada Maranhense de acordo com o IBGE. No entanto, os habitantes dessas localidades se sentem baixadeiros e os relatos dos antropólogos comprovam esse sentimento de pertença, além da ligação histórica que os une a essa microrregião” argumenta Inácio Souza.

Participam do projeto três grupos de pesquisa: “Religião e Cultura Popular”, coordenado pelo professor Sergio Figueiredo Ferretti; “História e Religião”, coordenado pelo professor Lyndon de Araújo Santos; e o “Grupo de Estudos e Pesquisa em Edafologia e Pedologia, coordenado pelo professor Marcelino Silva Farias Filho.

  Categorias: