Amazônia perde 578 km2 no mês de junho

Amazônia perde 578 km2 no mês de junho
agosto 05 12:35 2009

O relatório do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), divulgado na última terça-feira (04) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), revela que no mês de junho o desmatamento na Amazônia Legal atingiu 578 quilômetros quadrados, área equivalente à metade do município do Rio de janeirDesmatamento__Queimadao. Desse total, 330 quilômetros quadrados foram detectados no Pará e 181 no Mato Grosso.

O mês de junho marca o início da estação mais seca na região amazônica, o que aumenta o risco de novos desmatamentos e queimadas. A área observada livre de nuvens correspondeu a 57% da Amazônia Legal. Estados como Amapá, Roraima e Amazonas não puderam ser monitorados adequadamente por conta do alto índice de cobertura de nuvens no período. Já o Mato Grosso apresentou melhores condições, com 100% da área livre de nuvens.

Desde o início do ano, a região já perdeu mais de mil quilômetros quadrados de florestas. O Estado do Mato Grosso lidera o ranking com 528 km2 desmatados, seguido por Pará, com quase 400 km2.

O Deter é o sistema do INPE usado para mapear tanto áreas de corte raso – completa retirada da floresta nativa em um curto espaço de tempo -, quanto áreas em processo de desmatamento por degradação florestal. O INPE destaca que o Deter é um sistema de alerta, mostrando apenas tendências do desmatamento. Para computar a taxa anual do desmatamento por corte raso na Amazônia, o Instituto utiliza outro sistema, chamado Prodes.

  Categorias: