Brasil inaugura sua primeira fábrica de circuitos integrados

Brasil inaugura sua primeira fábrica de circuitos integrados
fevereiro 04 13:04 2010

O Ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, participa nesta sexta-feira (5) da inauguração da fábrica de circuitos integrados do Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica (Ceitec), em Porto Alegre (RS). Os chips serão produzidos pela empresa buscando-se assim capacitar o País em conhecimento tecnológico e recursos humanos qualificados no setor, além de colocar o Brasil na rota internceitec_portoalegreacional da microeletrônica.

Criado em 2008, o Ceitec é uma empresa pública federal ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), que tem como objetivo o desenvolvimento da indústria eletrônica nacional por meio da implantação de semicondutores. A empresa tem duas unidades: a fabril, que hoje é a única fábrica comercial de circuitos integrados no País e na América Latina, e um centro de pesquisa e desenvolvimento.

Os engenheiros já desenvolveram projetos comerciais de grande complexidade, como o chip de modulação para o sistema brasileiro de TV Digital (ISDB-T), o chip de identificação por radiofrequência para colocação em animais voltado para rastreabilidade bovina (Chip do Boi) e uma família de circuitos integrados de utilização na identificação eletrônica de bagagens, automóveis e medicamentos. 

O Chip do Boi está em fase de testes de campo em 10 mil cabeças de gado e, em breve, deve ser comercializado.

Este ano, o Ceitec prevê contratar 120 engenheiros, incluindo mestres, doutores, profissionais com experiência na indústria de semicondutores e recém-formados. A fábrica deve empregar cerca de 40 profissionais altamente especializados.

A indústria eletroeletrônica representa o maior setor industrial nas economias avançadas. Este ano, mais de 12% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial serão gerados por este setor, de acordo com a Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômicos (OCDE). No Brasil, segundo a Associação da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), a indústria eletro-eletrônica representava 4,3% do PIB, em 2008.

  Categorias: