Brasil recebe evento internacional sobre reconstrução de face

Brasil recebe evento internacional sobre reconstrução de face
setembro 10 12:33 2009

Congresso Internacional de Fissura Labiopalatina e Anomalias Craniofaciais – Cleft 2009 – será realizado entre os dias 10 e 13 de setembro em Fortaleza, reunindo 800 profissionais de saúde de 53 países

Pela primeira vez, o Brasil será sede o maior e mais importante evento sobre reconstrução de face no mundo, graças a uma iniciativa original do cirurgião plástico Cássio Raposo do Amaral, um dos pioneiros no tratamento multidisciplinar da fissura labiopalatina, falecido em 2005.cleft2009_2

O evento reúne os principais nomes da cirurgia plástica e craniofacial, de pesquisas com células-tronco, ortodontia e odontologia, atendimento psicossocial e dos tratamentos mais recentes. “É importante mostrar o trabalho desenvolvido nos centros médicos de referência”, explica Vera Raposo do Amaral, presidente do Cleft 2009. Do total de participantes, cerca de 200 são brasileiros.

O próximo congresso, da Confederação Internacional de Fissuras Labiopalatinas e Anomalias Craniofaciais Relacionadas,será em 2013, nos Estados Unidos. Representantes dos comitês regionais da Confederação na África, Oriente Médio, Ásia, Europa, e Américas escolherão, durante o evento em Fortaleza, o país-sede do congresso em 2017. São candidatos Japão, Taiwan, Tailândia, Índia e Canadá.

“Já é consenso internacional que o tratamento da fissura deve ser feito por equipes multidisciplinares que reúnem, entre outros profissionais, cirurgião plástico, fonoaudiólogo, ortodontista e psicólogo. É um tratamento de longo prazo, que se estende até os 16 anos do paciente, e deve ocorrer em centros especializados para se obter melhores resultados”, explica Amaral.

O evento terá apoio do Smile Train, organização não-governamental americana que financia cirurgias de fissura labiopalatina e outras ações relacionadas à deformidade em todo o mundo. Estima-se que mais de 350 mil cirurgias tenham sido financiadas pelo Smile Train em seus nove anos de atividades. “Fissuras labiopalatinas são um grande problema de saúde nos países em desenvolvimento, onde milhões de crianças sofrem com o preconceito e a discriminação e, em função da deformidade, são impedidas de comer e falar corretamente. Uma em cada 650 crianças nascidas vivas apresenta fissura”, observa Carlos Magalhães, coordenador do Smile Train na América do Sul.

Os hospitais parceiros preenchem requisitos de segurança, qualidade do serviço médico e resultado das cirurgias. Hoje, no Brasil, 23 hospitais recebem recursos do Smile Train para financiar cirurgias de fissura. “Nosso foco é a vida da criança. Patrocinamos o Cleft 2009 porque parceiros da ONG de todo o mundo estarão presentes. Será um ambiente de troca de informações onde os profissionais poderão conhecer os avanços nessa área”, acrescenta Magalhães.

Para obter mais informações sobre o evento, acesse www.cleft2009.org.br

  Categorias: