Carne moída, caranguejo e o açaí apresentam alta contaminação de coliformes fecais, revela pesquisa

Carne moída, caranguejo e o açaí apresentam alta contaminação de coliformes fecais, revela pesquisa
abril 23 13:59 2014

Foto 1 Saúde foto Antônio MartinsUma pesquisa coletou alimentos vendidos em São Luís e encontrou uma grande concentração de coliformes fecais. No topo do cardápio de contaminação está a carne moída, o caranguejo e o açaí.

Além desses alimentos foram recolhidas amostras de alface, sushi, sashimi e a garapa, que é o caldo da cana-de-açúcar.

O estudo foi desenvolvido pela doutora em microbiologia, Patrícia de Maria Silva Figueiredo, que recebeu apoio financeiro por meio do edital de Apoio a Projetos de Extensão (AEXT) da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA.

A pesquisa foi feita aleatoriamente em feiras livres, vendas de ambulantes, lanchonetes e até supermercados. O resultado encontrado foi surpreendente.AÇAI

“Todos os alimentos que coletamos apresentaram presença de coliformes fecais. A contaminação é elevadíssima, com presença de patógenos, sendo seis classes da bactéria Escherichia coli, que estão relacionadas com a diarréia. Felizmente, não encontramos nenhuma salmonela”, destacou a pesquisadora.

Fontes de Contaminação

A contaminação de alimentos ocorre, principalmente, quando o modo de preparo e pós-preparo é impróprio, ou seja, a pessoa não usa boa prática na manipulação e não guardaa comida apropriadamente.

As prováveis fontes de contaminação para esses alimentos estão no processo de armazenagem, nos temperos, bem como na água utilizada em todas as operações de limpeza, manipulação e utensílios.

alimentos dentro2“Percebemos que existe uma influência direta de quem está fazendo o alimento, e que de repente não está usando as técnicas adequadas”, afirmou Patrícia Figueiredo.

Por exemplo, na carne moída, das amostras que foram coletadas, todas estão altamente contaminadas e a desconfiança está na manipulação, na máquina de moer que não tem a manutenção e a limpeza adequadas.

“Outro exemplo é o sashimi que não é um alimento que se encontra facilmente. Tem seus restaurantes específicos e alguns deles apareceram às bactérias diarreiogênicas em índice elevado,” contou a doutora.

Cuidados no preparo e no pós-preparo

Segundo os nutricionistas, para evitar a contaminação no preparo, a orientação é que a manipulação do alimento seja feita sempre por pessoas usando toucas, aventais, luvas e máscaras.

Já para evitar a contaminação no pós-preparo, os alimentos devem estar quentes em uma temperatura mínima de 60ºC quando forem servidos e os frios, como, por exemplo, salada ou maionese, em balcões refrigerados.

  Categorias: