CNPq recebe projetos sobre biodiversidade marinha

CNPq recebe projetos sobre biodiversidade marinha
outubro 29 11:36 2009

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) lança três editais de apoio a projetos de pesquisas de geração de subsídios para o estabelecimento de políticas que promovam o desenvolvimento sustentável da Pesca Marinha no Brasil e de estímulo a criação e a estruturação de uma Rede de Pesquisa e Tecnologia em Piscicultura Marinha.

As inscrições vão até 23 de novembro próximo para os editais nsº 38/2009 e 39/2009. O prazo de inscrição do edital nº 36/2009 se encerra em 7 de dezembro. Os investimentobiodiversidade_marinhas para os projetos chegam a R$ 6 milhões.

Os editais têm o objetivo de apoiar projetos que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do País. Além de promover o aumento do conhecimento sobre processos ligados ao clima, tanto no âmbito costeiro e oceânico como de interação oceano-atmosfera-criosfera, que ocorram no Atlântico Sul, no Atlântico Tropical e no setor Atlântico do Oceano Austral (Antártico), bem como o aumento de estudos relacionados à dinâmica do carbono.

Os trabalhos visam ainda à ampliação de pesquisas com vistas ao uso sustentável do potencial biotecnológico da biodiversidade marinha existente nos ecossistemas costeiros e nas áreas marítimas sob jurisdição brasileira e de interesse nacional. Os editais pretendem gerar projetos que tenham como foco a geração, adaptação e a difusão do conhecimento científico e tecnológico que viabilizem a produção comercial de espécies piscícolas marinhas.

As propostas devem ser acompanhadas em arquivo contendo o projeto para o CNPq exclusivamente via Internet, por intermédio do Formulário de Propostas Online disponível na Plataforma Carlos Chagas.

Os proponentes devem ter título de doutor e currículo cadastrado na Plataforma Lattes, atualizado no prazo de até sete dias após a data limite para submissão da proposta; ter experiência de pelo menos cinco anos em pesquisas na área do projeto; ser obrigatoriamente o coordenador do projeto, e ter vínculo empregatício/funcional com a instituição de execução do projeto.

A equipe técnica pode ser constituída por pesquisadores, alunos e técnicos. Outros profissionais poderão integrar a equipe na qualidade de colaboradores. Só devem ser incluídos na equipe do projeto aqueles que tenham prestado anuência formal escrita, a qual deve ser mantida sob a guarda do coordenador do projeto. É obrigatório que os membros da equipe técnica caracterizados como pesquisadores tenham currículo cadastrado na Plataforma Lattes. Essa exigência não se aplica a pesquisadores estrangeiros.
 
A divulgação dos resultados está prevista para dezembro próximo.

  Categorias: