Confap assina acordo de cooperação com entidades do Reino Unido

Confap assina acordo de cooperação com entidades do Reino Unido
março 19 13:39 2014

Confap 2 Belo Horizonte / MG – O segundo dia de reuniões do Fórum Nacional do Confap foi repleto de apresentações. Entidades internacionais como a Rede Britânica de Ciência e Inovação e a Fundação Bill e Melinda Gates mostraram aos presentes os seus projetos para cimentar parcerias com o Brasil.

A proposta da Rede Britânica consiste no Fundo Newton, um fundo para incentivar a colaboração cientifica entre o Brasil e o Reino Unido, anunciado em dezembro de 2013 pelo ministro da fazenda George Osborne.

O Fundo deverá se chamar Fundo Newton, com a adição de mais um nome, o de uma cientista brasileira, ainda a ser escolhido. “Hoje o Reino Unido se volta para países em desenvolvimento, do Brics, não apenas para países da Europa”, salientou o responsável pela apresentação, Diego Arruda.

Em proposta preliminar foram apresentadas as características do Fundo, tais como: dispor de 9 milhões de Libras por ano, em um período de 3 a 4 anos, com pesquisas em Doenças Negligenciadas; Cidades e Transformações Urbanas; Bio Economia ( agricultura e segurança alimentar); Energia; Programa Antártica.

Também proposto pelo plano são os pilares de atuação, em Pessoas, com bolsas de pesquisa e workshops; Inovação, com eventos de inovação e desenvolvimento de novas tecnologias; e Programas, com financiamento de centros de pesquisa.

Para o presidente do Confap, Sergio Gargioni, tal aproximação sinaliza que “o Brasil passou a ser visto como um importante aliado em Ciência e Tecnologia para o resto do mundo”. “Fomos atraídos pela Europa, mas temos interesse também em parcerias com países da América Latina e Brics, além da já clássica parceria com os Estados Unidos”.

A Fundação Bill e Melinda Gates, já ativamente em contato com as Faps, mostrou a todos o seu escopo de atuação, respondeu dúvidas e ouviu sugestões sobre como fortalecer a parceria que já rende frutos, o Grand Challenges Explorations.

Em 2013, foram selecionados, pela primeira vez, 3 pesquisas brasileiras de uma só vez. Para a Fundação é uma prova do potencial do Brasil. “Sabemos que o modelo que usamos é diferente do qual os brasileiros estão acostumados, mas isso não tem sido um entrave”, ressaltaram os representantes presentes.

Uma dessas diferenças está no modelo de avaliação, que não avalia o currículo do responsável, mas o projeto em si. “Queremos ideias inovadoras, seja de quem for, se a ideia for consistente e ajudar nos problemas como a pobreza extrema e a saúde, será aprovada”, completaram.

Gargioni explica que essas apresentações são um exemplo pequeno da quantidade de parcerias que podem ser firmadas. “Agora temos um conjunto grande de propostas internacionais. O conjunto das FAPs é visto como um importante aliado. Disponibilizamos uma manhã e uma tarde para conhecer programas e firmar acordos, mas seria preciso muito mais tempo para conhecer todos”, diz o presidente do Confap.

O último dia do Fórum Confap foi encerrado com um coquetel oferecido pelo Reino Unido, além da assinatura de um Memorando de Cooperação com o Conselho Britânico e com o Universities UK.

  Categorias: