Conferência Internacional sobre nanomagnetismo e óptica quântica termina hoje (13) no CBPF

Conferência Internacional sobre nanomagnetismo e óptica quântica termina hoje (13) no CBPF
novembro 13 13:09 2009

Termina hoje (13), no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro, a Nanomagnetism, Spin Electronics and Quantum Optics Conference (NSEQO), evento por dois dias reúne pesquisadores e especialistas em nanoestruturas magnéticas e óptica quântica para discutir os recentes avanços e as perspectivas nessa área.

O evento, que integra a programação do Ano da França no Brasil, teve na abertura a presença do ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, do cônsul geral da França, Hugues Goisbault, do diretor do CBPF, Ricardo Galvão, e do coordenador do evento Alberto Passos Guimarães, pesquisador do Centro.

Na sua apresentação, Guimcbpfarães recordou alguns momentos históricos da relação entre Brasil e França, como as duas tentativas de estabelecimento de colônias francesas em território brasileiro – a primeira em 1555, no Rio de Janeiro, a França Antártica, e em 1594, no Maranhão, a França Equinocial – e as expedições científicas de Charles Marie de La Condamine (1743), a primeira à região amazônica, e do botânico August de Saint-Hilaire (1816).

Ele destacou ainda a importância do legado deixado pelo antropólogo Claude Levi-Strauss, apontado como um dos maiores estudiosos da cultura indígena brasileira, falecido no último dia 30 de outubro, a quem se referiu como “um dos grandes pesquisadores do século 20”.

O ministro Rezende, por sua vez, elogiou a iniciativa do evento e apresentou um histórico sobre o desenvolvimento das ciências no Brasil. “O desenvolvimento científico e industrial brasileiro é recente. Até a Segunda Guerra Mundial, o Brasil contava com pouquíssimos cientistas e a indústria era incipiente”, disse, lembrando que órgãos de pesquisa como o CNPq e a Capes foram criados só em 1951.

Rezende também mencionou a Embraer e a Petrobrás, líder mundial em prospecção petrolífera em águas profundas, entre os casos brasileiros de sucesso que tiveram a pesquisa como base do empreendimento, lembrando ainda as pesquisas e tecnologia envolvidas na produção de combustível veicular usando cana-de-açúcar – o bioetanol. O ministro mostrou ainda alguns indicadores do crescimento recente da produção científica nacional, já reconhecida internacionalmente, e da expansão do sistema nacional de C&T.

No encerramento da cerimônia, Hugues Goisbault, cônsul geral da França, afirmou ver “um forte simbolismo no fato de ser o NSEQO –  um encontro científico – o último grande evento da Programação do Ano da França no Brasil”, anunciando que está prevista a abertura de um escritório do Centre Nationale des Réchèrches Scientifique (CRNS) no Brasil, o que poderá estreitar ainda mais a parceria e a proximidade entre os dois países. 

Mais informações no site: http://www.cbpf.br/~nseqo

 

  Categorias: