Convênio firmando entre FAPEMA e CAPES amplia investimentos em Ciência no Maranhão

Convênio firmando entre FAPEMA e CAPES amplia investimentos em Ciência no Maranhão
março 31 19:09 2014

img-conselho-de-ciencia-e-tecnologiaUm convênio firmado entre a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES vai injetar recursos no valor de R$ 31,2 milhões nas atividades de ciência, tecnologia e inovação no Maranhão.

A finalidade do acordo é instituir a cooperação técnico-científica entre as duas instituições visando a execução de um conjunto de ações de qualificação de docentes, a fixação de jovens pesquisadores, de estímulo à cooperação acadêmica e de apoio a infraestrutura para formação de recursos humanos e para a pesquisa.

As ações são destinadas a reforçar e ampliar a formação de recursos humanos altamente qualificados pelos programas de pós-graduação Stricto sensu das instituições de Ensino Superior sediadas no Maranhão.

“Com o convênio estamos ampliando em R$ 20 milhões a injeção de recursos do governo federal no Maranhão para a área de ciência e Tecnologia” destacou a diretora presidente da FAPEMA, Rosane Nassar Meireles Guerra, explicando que dos R$ 31,2 milhões, R$ 10,9 milhões são contrapartida do Governo do Estado.

“Este é o maior convênio já firmado pela FAPEMA. Os investimentos do governo federal somam-se aos crescentes recursos que a governadora Roseana Sarney, tem feito nesta área”, completou Rosane Guerra lembrando que nos últimos cinco anos a FAPEMA mais que dobrou o número de atendimentos aos pesquisadores maranhenses.

“Com isso temos hoje no Estado um maior número de doutores. E quando você tem uma população melhor qualificada você também tem um estado mais desenvolvido”, destacou a presidente da Fundação.

Fomento – Com o acordo, que tem vigência até 2019, CAPES e FAPEMA buscam explorar em parceria os programas e instrumentos já instituídos pelas duas agências de fomento.

Os recursos vão possibilitar o financiamento de um maior número de propostas voltadas a absorção de jovens doutores, para atuar em projetos de pesquisa e desenvolvimento em áreas estratégicas do Estado. Também ira reforçar à pós-graduação e os grupos de pesquisas renovando o quadro de pesquisadores nas universidades e instituições de pesquisa.

Metas – Entre as sete metas do acordo estão o apoiado a novos Programas de Doutorado Interinstitucional – DINTER; a concessão de bolsas de Pós-doutorado, bolsas de Pesquisador Visitante Sênior; Estímulo a Excelência de Cooperação Acadêmica; Bolsas de Mestrado e Bolsas de Doutorado.

A política de investimento crescente de recursos do governo nesta área já tem como resultado o aumento do número de cursos de pós-graduação nas instituições de nível superior do Estado.

“A Universidade Estadual do Maranhão, por exemplo, saiu de três cursos em 2009, para nove em 2014. Na Universidade Federal do Maranhão o salto foi de 10 cursos para 26. O Ceuma saiu de um curso em 2009 para 04 cursos em 2014”, informou a presidente.

“Este é um dos indicadores, outro indicador importante é o número de patentes. Conseguimos em apenas quatro anos um número quase igual ao que tínhamos registrado em dez anos. Quando você aumenta o número de patentes e de inovação você também aumenta as potencialidades de investimento”, finalizou a diretora presidente da FAPEMA.

  Categorias: