Entendimento sobre os rótulos de brinquedos infantis é tema de estudo

Entendimento sobre os rótulos de brinquedos infantis é tema de estudo
janeiro 26 12:07 2015

brinquedosA cada ano são fabricados e comercializados milhares de brinquedos diferentes no Brasil. Apesar de fazerem a alegria da garotada, os brinquedos podem se tornar perigosos, dizem os especialistas, se não forem respeitados critérios de utilização, adequação por idade e fase de desenvolvimento da criança.

Acidentes como queimaduras, choques e intoxicações, por exemplo, são muito frequentes. Para evitá-los, as peças devem conter informações (símbolos gráficos, avisos e advertências) que garantam a saúde, a segurança, o conforto e o bem-estar das crianças.

Mas será que os brinquedos comercializados em São Luís trazem todas as informações necessárias – e de forma eficiente – a seus usuários? E será que os adultos que adquirem esses brinquedos entendem essas mensagens? E mais: qual o perfil cultural desses consumidores e que tipo de influência isso acarreta na hora da compra?

Foi partindo de questões como essas que o professor Dr. Raimundo Lopes Diniz, do Departamento de Desenho e Tecnologia da UFMA, decidiu investigar o entendimento do público consumidor de São Luís em relação aos símbolos gráficos, avisos e advertências contidas nos brinquedos voltados para crianças de zero a seis anos, levando em consideração aspectos culturais locais que interferem na escolha dos produtos.

“Queremos compreender o meio em que ocorrem a comunicação e a percepção dessas informações, traçando um perfil do comprador e dos fatores que determinam sua tomada de decisão durante a compra”, explicou o professor Raimundo Diniz. A ideia, segundo ele, é verificar como todas essas questões podem influenciar as causas de acidentes de consumo com brinquedos.

Para o pesquisador, os resultados do estudo irão permitir detectar e avaliar as dificuldades na comunicação. “A identificação dessas dificuldades e do grau de entendimento em relação aos símbolos gráficos, avisos e advertências em brinquedos é fundamental. A partir daí será possível estabelecer estratégias para melhorar a eficácia da comunicação e reduzir o atual número de acidentes com crianças entre zero e seis anos em São Luís”, declarou.

Além disso, a pesquisa servirá também para orientar os compradores ludovicenses sobre a importância de adquirir apenas brinquedos certificados pelo Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão – INMEQ, órgão fiscalizador no estado. O trabalho do professor Diniz tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, por meio do edital universal Nº 001/2013, e conta com a participação de vários professores e alunos do curso de Design da UFMA.

  Categorias: