Estudo analisa a confiabilidade e qualidade do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos em São Luís

Estudo analisa a confiabilidade e qualidade do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos em São Luís
novembro 01 19:43 2016

pezinhos.site

Os sistemas de informação foram criados no intuito de gerar dados epidemiológicos que possam subsidiar a tomada de decisão por aqueles que planejam e executam as políticas e ações de saúde. O Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) é um desses sistemas e tem como base a Declaração de Nascido Vivo (DNV), objetivando fornecer informações sobre os nascimentos, fundamentais para a composição de indicadores e relevantes para o planejamento de ações e políticas públicas na área de saúde materno-infantil.

Com base nisso, a pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UFMA, Guiliane Ferreira Lopes Santos realizou uma pesquisa com o intuído de saber qual a cobertura e qualidade das informações geradas pelo SINASC referentes aos nascimentos ocorridos em São Luís, onde foi avaliada a cobertura, completitude e confiabilidade do SINASC. Segundo ela, o estudo transversal foi baseado nos dados do SINASC e da Coorte de Nascimentos BRISA, onde foi realizado um pareamento entre os dois bancos. A amostra foi constituída por 4.531 nascimentos.

Os dados do SINASC foram comparados aos dados da Coorte. E avaliou-se a cobertura por maternidade e a completitude e confiabilidade das variáveis da DNV. “A cobertura relaciona-se à capacidade de obtenção do total de eventos ocorridos. A confiabilidade refere-se à concordância dos resultados considerando o pareamento com um padrão-ouro. A completitude diz respeito ao preenchimento da DNV (mensuração da frequência de informação ignorada/branco)”, explicou Guiliane Santos.

De acordo com a pesquisadora, foram estudadas as dez maiores maternidades (públicas e privadas) em número de parto/ano. Os dados foram analisados no STATA 12.0 obtendo-se o indicador Kappa e ICC. E aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa do HUUFMA. Após pareamento foi possível estimar uma cobertura de 87,7% para São Luís. A cobertura nas principais maternidades: Hospital Universitário da UFMA Unidade Materno-Infantil com 86,9%; Benedito Leite com 89,2%; Maternidade Marly Sarney com 89% e Clínica São Marcos com 88,1%.

“Apesar da cobertura obtida para São Luís ser considerada boa, ainda é inferior ao limite de 90% preconizada pelo Ministério da Saúde para o uso dos dados no cálculo de indicadores. O que evidencia a necessidade de adotar medidas que contribuam para o aumento da cobertura. Com exceção da variável raça/cor da mãe, verificamos que as demais variáveis da DNV estão sendo preenchidas de forma completa, no entanto no que concerne à confiabilidade, apontamos problemas para situação conjugal, detecção de anomalia congênita, raça/cor da mãe e semanas de gestação”, afirma a pesquisadora.

O estudo poderá contribuir no planejamento e tomada de decisões dos gestores com vistas à melhoria da qualidade do SINASC, o que fornecerá informações fidedignas para subsidiar as políticas públicas no setor materno-infantil em São Luís e no estado.

 

  Categorias: