Exposição “Casa da Química” é aberta na Fundação da Memória Republicana

Exposição “Casa da Química” é aberta na Fundação da Memória Republicana
outubro 10 15:39 2014

DSC 0901A presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, Rosane Nassar Meireles Guerra, participou, ao lado da Presidente da Fundação da Memória Republicana Brasileira, Anna Graziela Santana Neiva Costa, do lançamento da exposição “Cadê a Química”, na tarde desta quinta-feira, 9, na Fundação da Memória Republicana Brasileira – FMRB.

A exposição tem como proposta estimular a imaginação infantil e dos adolescentes em uma divertida visita a casa com sete ambientes, sala, dois quartos, cozinha e banheiro e área de serviço, onde é possível desvendar a presença da química na vida cotidiana.

“A iniciativa de aproximar os estudantes da disciplina é louvável, oportunizando o aprendizado da Química de forma divertida e lúdica. A descoberta em atos cotidianos”, disse Rosane Guerra.

Participaram da abertura, os secretários de estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, José Costa; Cultura, Olga Simão; Educaçao, Danilo Furtado; Direitos Humanos e Cidadania, Maria Luisa Oliveria; e o secretario adjunto da Sectec, João Torres, além de representantes de instituições de ensino superior, estudantes e convidados.

Após o discurso na área externa da FMRB os convidados visitaram a Casa da Química e conheceram cada ambiente descobrindo de forma divertida onde a química está dentro da rotina de cada um.

A presidente da Fapema, Rosane Guerra e secretária da Secma, Olga Simão, se divertiram com o aprendizado da disciplina em dos cômodos da casa.DSC 0935EDITADA

A presidente da FMRB, Anna Graziella Costa, ressaltou que a presença da exposição durante dois anos na capital é positiva para todos os envolvidos na educação, sejam eles os estudantes das redes públicas e privadas, como para os universitários, que estarão monitorando as visitas, o aprendizado é de todos.

“Vivenciar a química utilizando a tecnologia para desenvolver o que aprendem na Universidade e nas escolas é muito bom, além de ser uma chance dos jovens alunos entenderem a disciplina, normalmente não tão atrativa, a começar a cair em campo e descobrirem, quem sabe, a química como profissão”, observou.

O Governo do Estado também é parceiro da Exposição por meio da Sectec. “Qualquer esforço que vise gerar interesse na nossa sociedade pelo estudo da ciência, é nossa obrigação de fazer. Estão aqui órgãos do governo que tenham ações voltadas para conhecimento dão as mãos e participam, não somente dessa exposição, mas também de qualquer outra iniciativa”, disse secretário da Sectec, José Costa.

DSC 0846A exposição já passou por várias capitais do país, entre elas, Belo Horizonte e Rio de Janeiro e segue o formato de uma casa construída para se descobrir, de forma interativa e com muita diversão, os fenômenos químicos presentes no dia–a-dia, como em pequenas tarefas como nossa alimentação ou no prazer e desconforto que sentimos quando sonhamos ou temos pesadelos.

A exposição “Cadê a Química” é uma produção da Casa da Ciência da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, em parceria com a Sociedade Brasileira de Química, com apoio local da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior-Sectec.

A entrada é gratuita. As visitações são monitoradas por estudantes do curso de Química, da Universidade Federal do Maranhão – UFMA e da Faculdade Pitágoras.

  Categorias: