FAPEMA é pioneira no programa de apoio aos acervos do Maranhão

FAPEMA é pioneira no programa de apoio aos acervos do Maranhão
setembro 24 17:52 2013

Fapema - Adoc - Cópia

Uma das características mais observadas – para o bem e para o mal – nos hábitos culturais do brasileiro é a fixação pelo novo e o esquecimento do que é antigo. Isso pode ser explicado, em parte, pelo fato do país ser jovem, com pouco mais de 500 anos de existência. Esse imediatismo da juventude faz com que, muitas vezes, a população esqueça a importância das experiências e dos conhecimentos históricos.

Aqui no Maranhão, o destaque para o incentivo à preservação da história é incentivado pela Fundação de Amparo a Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA, através do edital de Apoio ao Programa de Acervos do Maranhão – ADOC – n° 27/2013. As inscrições para este edital estão abertas até o próximo dia 27 de setembro.

Com ele, as instituições contempladas, como os Museus, por exemplo, poderão desenvolver na prática as propostas traçadas para garantir a organização, a consolidação e a execução de programas que visem melhorar e manter os acervos documentais do Maranhão. Será a garantia da preservação da história e também dos registros recentes do estado.

Casos de Sucesso – Na última edição deste edital foram contempladas instituições como a Biblioteca Pública Benedito Leite, a Casa de Cultura Josué Montello, o Teatro Arthur Azevedo (TAA).

No TAA, o projeto foi iniciado há quatro anos e todo acervo está sendo digitalizado através de computadores e scanneres. Na Biblioteca Benedito Leite, 500 obras já estão disponíveis para o público através de um banco de imagens. Ao todo, serão três mil obras disponibilizadas até o final do processo. Também tiveram seus projetos aprovados o Museu Histórico e Artístico e o Arquivo Público do Maranhão.

Tanto no Arquivo Público quanto nas outras instituições, o projeto inclui – quase sempre – a digitalização, limpeza e a preservação desses documentos. Mas as particularidades são respeitadas para cada pesquisa no processo de catalogação e restauração dos acervos.

Pioneirismo elogiado – Um plano de gestão do acervo escolhido para receber o apoio também é de vital importância. As propostas que forem aprovadas serão financiadas com recursos no valor de R$ 2.150.000,00 (dois milhões cento e cinquenta mil reais), mas cada projeto, individualmente deverá ter o valor máximo de R$ 300 mil reais.

O edital de Apoio à Preservação de Acervos é reconhecidamente elogiado por sua iniciativa de disponibilizar a oportunidade para pesquisas nesse campo. O museólogo carioca e assessor cultural do Museu da República (RJ), Mário Chagas, em entrevista recente, elogiou a iniciativa do edital. “Eu acho que o que a Fapema está fazendo é um exemplo que deveria ser seguido por outras FAPs, abrindo a possibilidade de vários editais nesse campo. Existem outras fundações que já se abriram ao campo dos museus, mas são pouquíssimas. A Fapema é pioneira e as possibilidades são inúmeras”.

A médio e longo prazo, a implantação do sistema informatizado na gestão e na divulgação desse acervo documental vai consolidar a estruturação da rede de acervos que irá garantir a difusão dos documentos históricos presentes no Maranhão.

Para a presidente da FAPEMA, Rosane Nassar Meireles Guerra, o edital vai possibilitar, acima de tudo, o acesso do conhecimento histórico às futuras gerações. “É fruto de um grande trabalho e de um grande esforço de todos os agentes envolvidos nessa construção. O que queremos é sempre possibilitar os melhores meios para promover a conservação dos acervos, que nada mais é do que a preservação da nossa história”, analisou.

  Categorias: