FAPEMA e SECTEC promoverão reunião para discutir projetos estratégicos para o Maranhão

FAPEMA e SECTEC promoverão reunião para discutir projetos estratégicos para o Maranhão
março 02 18:49 2012

contas2A secretária de Estado de Ciência e Tecnologia, Olga Simão, e a diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), Rosane Nassar Meireles Guerra, convidam coordenadores de programas de pós-graduação do Maranhão e pró-reitores de Pesquisa e Pós-graduação para participar, na próxima terça-feira (06), na sala de reunião do Palácio Henrique de La Rocque (Calhau), de uma reunião que vai tratar sobre editais voltados para Projetos Estratégicos para o Maranhão. Os recursos para os editais serão de aproximadamente R$ 20 milhões.

“Os projetos estratégicos são programas em áreas prioritárias do governo, com forte inserção nos focos de pobreza extrema do Estado. São projetos que estão concatenados com diretrizes do governo federal. E o que temos, prioritariamente, já delineado, é na área de agricultura familiar e atividades de educação. Outros projetos poderão surgir ao longo das discussões que teremos com todos os setores que têm interesse em contribuir para a redução da pobreza no Estado”, disse a presidente da FAPEMA.

Rosane Guerra contou que os recursos destinados aos projetos, são, primariamente, do governo do Estado, mas a ideia é que sejam também captados recursos junto ao governo federal, dependendo das áreas de atuação. Ela explicou que o edital “Projetos Estratégicos para o Maranhão” é resultado de uma parceria com várias secretarias de Estado que já cadastraram as principais ações de interesse para desenvolvimento de projetos. “Os primeiros editais devem estar disponíveis na página da Fundação ainda na primeira quinzena de março”, adiantou.

Combate à pobreza – Os Projetos de Erradicação da Pobreza Extrema no Estado, elaborado com o apoio de técnicos da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, já têm definidos quatro linhas de atuação para o combate à pobreza extrema no Maranhão: agricultura familiar, pesca, carcinicultura e preparação técnica e profissional aos jovens maranhenses. Do público-alvo do Plano Brasil Sem Miséria, cerca de 1,7 milhão de pessoas estão no Maranhão e um milhão delas vivem da agricultura familiar.

As discussões e articulações de estratégias para execução de um programa capaz de combater a pobreza, a partir de políticas de inclusão produtiva, devem ser concluídas até julho deste ano. É determinação da governadora Roseana Sarney superar este desafio.

 

  Categorias: