Fapema investiu em mais de 3 mil bolsas e projetos de pesquisa em universidades maranhenses em 2016

abril 18 03:00 2017

23milhoes-fapema1Desde o primeiro ano do Governo Flávio Dino, a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) vem estabelecendo uma nova lógica política para o trabalho da fundação. O diretor-presidente, Alex Oliveira, vem adotando uma política que aproxima as universidades e os centros de pesquisas dos anseios da sociedade, em suas demandas sociais, ambientais e produtivas. Além disso, a instituição tem fortalecido os elos entre atores da comunidade científica e da sociedade.

O plano de trabalho destacou o papel da Fapema como agência que promove o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado do Maranhão. Com três objetivos transversais a todas as áreas do conhecimento, a fundação passou a subordinar as chamadas públicas de seleção (editais) a programas, linhas de ação e objetivos. Esta inversão de abordagem obriga a Fapema a pensar o fomento às pesquisas como política pública e como direito ao conhecimento.

Nas quatro linhas de ação foram obtidos muitos resultados positivos pela Fapema. Na Linha Mais Ciência houve um aumento no número de projetos de pesquisas apoiados, passando de 574 apoiados em 2014, para 664 projetos em 2015. Da mesma maneira a fundação apresentou resultados animadores na linha Mais Qualificação, quando foi ampliado o número de bolsistas contemplados pela fundação, com destaque para a pós-graduação que obteve um crescimento de 58% em relação a 2014.

Em 2016, a Fapema continuou com as metas já traçadas, aprofundando os objetivos com ênfase nas parcerias, na captação de recursos levando a cabo nossa determinação em produzir ciência com “Mais Inclusão Produtiva e Inovação Tecnológica”. Além do fomento ofertado por meio dos programas, foi destaque a promoção de eventos de popularização da ciência, como: valorização da pesquisa e propriedade intelectual, novas tecnologias educacionais e cooperação internacional França e Brasil.

23milhoes-fapema2No ano passado, o Governo do Maranhão investiu mais de R$ 23 milhões em mais de 3 mil bolsas e projetos de pesquisa nas seguintes instituições: Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) e Universidade Ceuma. À UFMA foi concedido R$ 12.645.602,53 através de 1381 processos; à UEMA. R$ 6.555.790,68 em 852 processos; ao IFMA, R$ 2.393.185,30 em 517 processos; e ao Ceuma, R$ 1.498.787,45 em 165 processos.

Entre os investimentos que se destacaram, a Fapema concedeu em 2016: R$ 2.595.520 para o pagamento de 564 bolsas de iniciação científica; R$ 394.393,12 destinados a 105 publicações em eventos científicos; e R$ 1.241.994,92 para a realização de 83 eventos científicos, tecnológicos e de inovação. Além dos investimentos em editais regulares, como o Edital Universal e Bolsas de Mestrado e Doutorado, e em editais inéditos, como Aquicultura e Pesca, Igualdade de Gênero, Igualdade Racial e Tecnologia da Informação, Automação e Comunicação, elaborados através de oficinas de planejamento e participação social.

Outros resultados importante referem-se à interiorização dos investimentos em ciência e tecnologia no Maranhão, diminuindo a concentração de investimentos na capital maranhense e propiciando um crescimento nos investimentos no interior do estado, rompendo uma estagnação histórica de mais de três anos, na ordem de 18% dos investimentos. Estes ganhos se repetiram em todas as linhas de ação e se reforçaram à medida que a Fapema abriu espaço para novas possibilidades de participação como no Universidade de Todos Nós, Solidários, Startups, Agricultura Familiar e Tecnologia Social.

De acordo com Alex Oliveira, em 2016 a Fapema, assim como todos os órgãos do Governo do Maranhão, teve dificuldades financeiras devido o contingenciamento que tem sido praticado para o bom andamento do estado em detrimento do cenário nacional atual. No entanto, diante desse quadro a fundação manteve os investimentos e a sua política de ampliação das bolsas de estudo para a pesquisa. Como é o caso da elevação de 40 para 250 bolsas do ensino médio, através do Edital Geração Ciência.

“Em 2016 tivemos muitos avanças, como o aumento do número de bolsas de pós-graduação ampliadas a partir de parceria com a Capes e a parceria com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica [ITA] para a abertura da primeira turma do Mestrado em Engenharia Aeroespacial. Para 2017, vamos continuar apoiando e investindo em empreendimentos solidários, estágios internacionais para diversos países e todos os nossos demais programas”, destacou o diretor-presidente da Fapema. 

  Categorias: