Investimentos da FAPEMA têm fomentado a criação de cursos de pós-graduação no estado

Investimentos da FAPEMA têm fomentado a criação de cursos de pós-graduação no estado
dezembro 27 11:37 2013

DSC 0746editadaOs recursos crescentes investidos pelo Governo do Estado do Maranhão nas áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação ampliaram o número de bolsas e fomento concedidos pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – FAPEMA. Somente este ano, foram investidos recursos no valor de R$ 32, 5 milhões. O resultado é o crescimento quantitativo e qualitativo de programas de pós-graduação nas instituições de ensino superior do Maranhão, como as Universidades Estadual (Uema) e Federal (Ufma) do Maranhão.

“Em 2009, a Uema tinha três programas de pós-graduação; hoje, são oito. Na Ufma eram 19 e, hoje, são 29 programas. Nesse mesmo período ocorreu, também, a interiorização da pós-graduação para os municípios de Caxias, Chapadinha e Imperatriz”, enfatizou a presidente da Fapema, Rosane Guerra.

Este ano, até o momento, a Fundação disponibilizou 44 editais em seu portal. Alguns deles inéditos, a exemplo dos voltados à estrutura de biotérios, ao fortalecimento dos programas de pós-graduação, o de apoio à conservação de acervos museológicos e o Programa Maranhão Mais Música.

Fazem parte da lista de novos editais, duas chamadas voltadas para internacionalização com o objetivo de, cada vez mais, ampliar as fronteiras do estado e estimular a qualificação profissional a partir do intercâmbio de alunos e pesquisadores. “Em prol da inovação em micro e pequenas empresas há entre os inéditos o Edital Tecnova, que conta com a parceria da Fiema, IEL e Sebrae. Os recursos somam R$ 4 milhões”, informou Rosane Guerra. Nesta área, segundo a diretora presidente, já se contabilizam, também, bons resultados. De 2009 para cá, foi ampliada a interação com as empresas maranhenses aproximando a universidade desse setor e estimulando tanto a inovação quanto a inserção de pesquisadores em seus quadros. “Há quatro anos não tínhamos nenhuma empresa apoiada, hoje são 30. Além disso, há hoje em todas as universidades estaduais e na Fiema núcleos de inovação, cuja implantação foi estimulada e fomentada pela Fapema”, observou a diretora presidente.

Globalização- O ano de 2013 foi também de conquistas quanto à globalização das ações da FAPEMA. O edital Apoio ao Programa Ciência sem Fronteiras, lançado em maio, possibilitou que um maior número de alunos participassem do programa do Governo Federal, com apoio financeiro a instituições de ensino superior sediadas no estado para atenderem à demanda de mobilidade internacional de estudantes (graduação e pós-graduação).

“Os investimentos em internacionalização também resultaram na participação recente da Fapema na missão institucional ao Reino Unido, ação integrada por apenas 9 estados da Federação e que teve como foco o estabelecimento de parcerias com universidades e instituições de fomento”, detalhou Rosane Guerra. Para 2014, as expectativas são ainda melhores, de acordo Rosane Guerra. “Deverão ser mantidos os mesmo editais e esperamos a regularidade no fomento, bem como as muitas ações desenvolvidas em parceria, visando, cada vez mais, consolidar e ampliar a inserção do Maranhão no cenário nacional e internacional”, afirmou.

 

  Categorias: