MA apresenta propostas durante Conferência Regional

MA apresenta propostas durante Conferência Regional
abril 22 12:57 2010

Foi encerrada nesta sexta-feira (16) a Conferência Regional Nordeste de Ciência, Tecnologia e Inovação, realizada esta semana em Maceió. O evento, que faz parte das atividades preparatórias para a Conferência Regional, reuniu durante dois dias cerca de 800 participantes de todos os estados nordestinos.

A comitiva maranhense que participou do evento foi coordenada pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado (Sectec), e formada por representantes da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapema), Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema) e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

ConferenciaO objetivo do encontro foi apresentar as propostas formuladas nas conferências estaduais – a do Maranhão aconteceu ao final de março – e integrá-las às propostas de todo o Nordeste. O documento será apresentado na conferência nacional e servirá de base para a criação do Plano Nacional de Ciência e Tecnologia.

Uma das propostas mais importantes apresentadas em termos de recursos financeiros e que beneficiará o Nordeste, foi apresentada exclusivamente pelo Maranhão: a criação do Plano de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Nordeste.

Segundo o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Ufma, Fernando Carvalho, um dos coordenadores do grupo maranhense no evento, a ação foi feita por 156 deputados de todos os estados da região e propõe a utilização de 30% dos fundos setoriais do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), independente do alcance das metas da produção de projetos nos editais nacionais dos fundos setoriais. “Isso é importantíssimo porque faz com que esses recursos fiquem no nordeste”, destacou Fernando Carvalho.

Com a aprovação da proposta, o fundo criado será gerenciado pelo Banco do Nordeste (BNB) com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). Nos últimos 8 anos, segundo Carvalho,  o Nordeste e o Centro-Oeste perderam, juntos, R$ 578 milhões dos fundos setoriais que foram para as regiões Sul e Sudeste.

Outras propostas lançadas pela comitiva maranhense, que também tiveram excelente recepção durante a Conferência, foram as de criação de Casas de Ciência, que abrigariam, de forma independente, as pesquisas desenvolvidas pelas instituições públicas nos estados sem que haja o que foi definido como ‘barreira institucional’, onde comumente as instituições produtoras do conhecimento tratam-no como um produto privado.

Para a professora Ana Nelo, da Ufma, que apresentou as propostas ligadas ao eixo sobre Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento social, outro tema importância para o Nordeste, em especial para o Maranhão, é o de criação de mão de obra qualificada para projetos como o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), além de siderúrgica e empresas do segmento portuário.

 

  Categorias: