Mais investimentos para o Maranhão são anunciados durante CNCTI

Mais investimentos para o Maranhão são anunciados durante CNCTI
maio 26 20:06 2010

Brasília / DF – Durante a 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CNCTI), que teve início nesta quarta (26) e vai até sexta-feira, na sessão plenária especial da manhã, gestores de cada uma das regiões brasileiras anunciaram as propostas que foram definidas pelos estados durante a realização das conferências regionais, em abril. As recomendações do Nordeste para a construção de uma Política de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação foram apresentadas pela secretária de Ciência e Tecnologia do Estado de Alagoas, Janesmar de Mendonça Cavalcanti.

 

Portal_3Na plenária especial, recursos da ordem de R$ 2 milhões, em subvenção, para financiamento de projetos de inovação de empresas, foram anunciados para o estado do Maranhão.  Os recursos serão gerenciados pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), que ficará responsável pela transferência às empresas beneficiadas.

 

A diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), Rosane Guerra, que também participa da Conferência, comentou o anúncio: “Estamos produzindo mais, mas ainda somos muito jovens na transferência de tecnologia. Investimentos maiores para o setor produtivo maranhense inovar são imprescindíveis para que o estado possa ter uma cultura de inovação”, destacou.

 

Para o Maranhão, foi enfatizada a necessidade de investimento em inovação, com ações que vão desde a criação de um fundo de inovação tecnológica até a promoção de iniciativas na área de agricultura familiar, que tem grande potencial econômico no Estado.

 

A criação de secretarias municipais de C&T, investimentos na produção de biocombustíveis e co-produtos a partir de plantas típicas, como o babaçu, estão entre as recomendações do estado do Maranhão. “É importante um momento como esse, primeiro para se observar que em todas as regiões as demandas são muito semelhantes. A equidade, a distribuição democrática de recursos, diferenças regionais, além da popularização da ciência tem sido uma tônica comum nos documentos das conferências de várias regiões”, observou Rosane Guerra.    

 

A presidente da Fapema defende mais investimentos na qualificação de recursos huSecretrio-MCTmanos. De acordo com Guerra, o país não investe pouco nesse item, mas os resultados ainda são acanhados. ”O cenário do Nordeste é preocupante. O maior aporte de recursos é investido no Sudeste”, citou.

 

O secretário-executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antônio Rodrigues, disse que a política de ciência e tecnologia avança com a realização da conferência, na qual todos os estados apresentam propostas concretas para fomentar essa área. “É importante ver que estados que antes estavam fora dessa agenda estão apresentando aqui propostas concretas, inovadoras e criativas para avançarmos nesse setor”, afirmou.

 

Segundo o ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, a política do ministério tem como idéia central a descentralização de recursos, elevar a capacidade do conhecimento e integrar o território. “A conferência vai apontar caminhos para que a ciência brasileira melhore cada vez mais a vida das pessoas e ajudar o Brasil a crescer com sustentabilidade”, enfatizou.


A 4ª Conferência é uma promoção do Ministério da Ciência e Tecnologia, com a presença de representantes de todos os estados brasileiros. Cerca de três mil pessoas participam das seções plenárias e paralelas, realizadas no evento. O objetivo da conferência é formular propostas para a construção de uma Política de Estado para a CT&I, ancorada em um desenvolvimento sustentável, do ponto de vista econômico, ambiental e social.

 

 

 

  Categorias: