Maranhão recebe R$ 579 mil em recursos para pesquisas de biocosméticos

Maranhão recebe R$ 579 mil em recursos para pesquisas de biocosméticos
junho 01 18:21 2010

 

redebioO Comitê Gestor da Rede Amazônica de Pesquisa e Desenvolvimento de Biocosméticos – REDEBIO acaba de divulgar as propostas que receberão financiamento. O resultado final já está disponível nas páginas eletrônicas das Fundações de Amparo à Pesquisa dos Estados do Acre, Amazonas, Maranhão e Pará. Para acessar clique aqui.

 

Dos recursos disponibilizados para os projetos selecionados, R$ 305.107,12 são para o Acre; R$ 1.849.235,23 para o Amazonas; R$ 579.337,56 para o Maranhão; e R$ 1.432.856,75 para o Estado do Pará. “Apenas o Estado do Tocantins não entrou na rede de pesquisa porque suas propostas não foram qualificadas no mérito, e também devido a inúmeras mudanças institucionais que o Estado tem passado nos últimos meses”, explicou a diretora-científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), Patrícia Sampaio.

 

O recurso inicial previsto para a rede, cerca de R$ 6,6 milhões, não foi aportado integralmente nesse primeiro momento, já que algumas propostas submetidas sofreram adequações orçamentárias. Contudo, a presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Maranhão (Fapema) adverte que, se as redes necessitarem de mais recursos para desenvolver os projetos, as Faps poderão liberar o montante remanescente aos grupos de pesquisa. “Se for essencial ao desenvolvimento de um estudo a compra de um determinado equipamento, por exemplo, há sim a possibilidade de aportamos novos recursos e assim estimularmos cada vez mais esse trabalho em rede”, destacou Rosane Guerra.

 

No total, foram disponibilizados R$ 4.166.536,66 para as quatro redes de pesquisa: Rede de Padronização dos óleos de andiroba e copaíba da Amazônia (Repacam), coordenada por Jefferson Rocha de Andrade Silva; Rede para desenvolvimento de C,T&I na geração de insumos da andiroba para aplicação na indústria de cosméticos, com Cecília Verônica Nunez, na coordenação; Rede para o fortalecimento e inovação estratégica da cadeia produtiva de óleos da Amazônia aplicados em cosméticos (Rede Anaua), coordenada por Wagner Luiz Ramos Barbosa; e a Rede Babaçu-Mampa, com Maria Nilce de Souza Ribeiro como coordenadora.

 

Para Rosane Guerra, o lançamento do primeiro edital da Redebio servirá para estruturar a rede e identificar as potencialidades de cada estado, consolidando grupos de pesquisa. Durante a reunião de homologação do resultado, que aconteceu paralelamente à 4ª Conferência Nacional de C,T&I, em Brasília, os gestores já prospectaram o que poderá ser modificado nos editais dos próximos anos. “Esse primeiro edital nos mostrará de que forma essa rede acontecerá, acredito, inclusive, que nos próximos, devemos pensar na formação de quatro grandes redes, uma para cada insumo”, observou Guerra.

 

 

 

  Categorias: