Meios alternativos de fertilização do solo são buscados no centro-norte do estado

Meios alternativos de fertilização do solo são buscados no centro-norte do estado
agosto 20 14:30 2013

P5164552a

A agricultura familiar é uma atividade que possibilita o sustento de muitas famílias rurais. O centro-norte do Maranhão concentra muito dessas famílias. Visando melhorar as práticas de plantio, uma pesquisa buscou investigar meios alternativos de fertilização do solo através de resíduos de árvores em substituição às substâncias normalmente utilizadas, tais como o nitrogênio industrial.

A pesquisa constatou que apesar de haver um bom índice de produtividade e sustentabilidade no manejo do solo praticado por famílias agrícolas no Maranhão, ainda é necessário a adoção de meios que possibilitem uma maior eficiência na produção e a diminuição do uso de fertilizantes industriais que agridam o meio ambiente.

Esse estudo sobre sistema de produção em aléias é coordenado pelo professor doutor Emanoel Gomes de Moura e está ligado ao Programa de Pós Graduação em Agroecologia da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, que tem trabalhado com o objetivo de formar recursos humanos capacitados para o desenvolvimento de técnicas que gerem maior produtividade no campo, de maneira sustentável. Um dos integrantes do grupo de pesquisa, o professor doutor Heder Braun, também ligado ao Programa de Pós Graduação em Agroecologia da UEMA, comentou sobre a importância destas iniciativas: “nós professores e pesquisadores estamos trabalhando com estudantes desde a iniciação científica até os doutorandos, com o principal objetivo de formar futuros profissionais que divulguem esta prática agrícola para as suas regiões de origem. Dessa forma, acreditamos que é possível ter um país justo para todos e uma agricultura sustentável”, afirmou.

O objetivo principal desta pesquisa foi possibilitar a substituição do nitrogênio industrial, na implantação e administração de agrossistemas ecológicos, no intuito de diminuir os custos na produção, aumentar a atratividade e garantir o aumento da eficiência dos agroecossistemas para o mantimento de sua produtividade. “Esperamos que os agricultores possam aumentar a renda familiar bem como o ‘poder de compra’. Acreditamos ainda que esta pesquisa pode proporcionar a autoestima e com certeza melhorar a qualidade de vida destas famílias, declarou Heder

A metodologia adotada pela equipe consiste na plantação de determinados tipos de árvores leguminosas, entre os quais estão a acácia e o sombreiro, junto à cultura econômica, por exemplo, o milho. Em um determinado momento de crescimento, as árvores são podadas e seus galhos são espalhados sobre a superfície do solo. Os resíduos provenientes desses galhos funcionam como fertilizantes naturais. Essa alternativa, segundo o trabalho, possibilita ao agricultor um menor custo pelo fato de contar com recursos naturais e benefícios ao próprio meio ambiente.

Em estudos anteriores desenvolvidos pelo professor doutor Emanoel Gomes de Moura, mostraram que as árvores leguminosas utilizadas no estudo produziram uma quantidade de nutrientes suficiente para a fertilização do solo e proporcionaram a produção das culturas de forma mais econômica, eficiente e sustentável. Assim, o professor doutor Heder Braun pretende expandir a pesquisa com sistemas de produção em aleias, estudando estratégias para aumentar a eficiência fotossintética de plantas que tenham caráter econômico, objetivando o desenvolvimento de famílias agricultoras maranhenses. Esta pesquisa recebeu apoio financeiro da FAPEMA por meio do edital Universal N° 01/2012.

  Categorias: