Ministro da Ciência e Tecnologia destaca a atuação da Fiocruz no campo da inovação

Ministro da Ciência e Tecnologia destaca a atuação da Fiocruz no campo da inovação
setembro 21 12:10 2009

A implantação de unidades de pesquisa em diferentes regiões brasileiras nos próximos anos e o lançamento do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS) da Fvisita_ministro_rezendeiocruz, previsto para 2010, foram destacados pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, como exemplos que reafirmam o papel destacado da Fiocruz no campo da saúde pública e de como os pesquisadores cada vez mais trazem contribuições para o desenvolvimento nacional. Rezende participou na manhã desta sexta-feira (18/9) de reunião do Conselho Deliberativo da Fundação. O presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, abriu o encontro com o ministro fazendo uma exposição sobre as diferentes inserções da instituição no campo do desenvolvimento científico e tecnológico ligado à área de saúde pública.

Foi a terceira vez que um representante do primeiro escalão do governo federal esteve na Fundação nos últimos meses: em julho, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, participou de um encontro com pesquisadores e dirigentes; em agosto, o secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Daniel Barcelos Vargas, conheceu a instituição, a sua atuação e os projetos desenvolvidos.

“Cada vez que venho à Fiocruz encontro boas notícias. Hoje não foi diferente. A Fundação está ampliando muito as suas ações, seguindo as determinações do presidente Lula, e reafirmando a sua importância para o sistema de ciência e tecnologia brasileiro”, disse o ministro. Rezende também lembrou a participação da Fiocruz na constituição dos 123 Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) aprovados pelo CNPq recentemente. Ele convocou os dirigentes e os pesquisadores da Fiocruz a participarem ativamente do projeto – a Fundação coordena três desses institutos – e também destacou que os cientistas de Manguinhos terão papel importante na 4ª Conferência Nacional de Ciência e Tecnologia, em maio de 2010. “Um dos frutos da Conferência será um plano de ação para a área de ciência e tecnologia para os próximos anos”, anunciou o ministro.

Rezende destacou a importância crescente dos investimentos e reflexões ligados à área de inovação para as instituições de pesquisa. De acordo com ele, a sociedade cada vez mais cobra uma maior inserção da área de ciência e tecnologia no segmento da inovação, principalmente indústrias e empresas. “Depois de uma queda na década de 1990, amplia-se cada vez mais a cultura que associa pesquisa e inovação. Há, inclusive um movimento empresarial voltado para esta questão, que é a Iniciativa Empresarial pela Inovação”, informou o ministro, lembrando que vem crescendo os investimentos do governo em empresas de base tecnológica, principalmente por meio de incubadoras. “Por isso que acho que a Fiocruz, por toda a maturidade e competência que acumula, terá uma contribuição decisiva nos deba tes sobre a interação da área de pesquisa com as empresas”.

Lei Arouca

Os marcos legais e as determinações colocados pela chamada Lei Arouca, que trata do uso de animais em pesquisas, também foram debatidos na reunião da Fiocruz. O ministro Sergio Rezende defendeu que a comunidade científica terá um papel fundamental na sensibilização e no esclarecimento da sociedade sobre o tema. “Teremos algo parecido como a situação vivida por Oswaldo Cruz no início do século passado no convencimento da importância da vacinação contra a varíola. Teremos que vir a público e esclarecer”, disse Rezende.

  Categorias: