Mulheres na Ciência: uma história invisível

Mulheres na Ciência: uma história invisível
março 08 13:07 2015

convite dia int.mulher fapemaAs mulheres estão presentes na produção de conhecimentos, incluindo aí a participação nas ciências exatas e na tecnologia desde a Antiguidade; no entanto, em todo o mundo, essa tem sido uma contribuição pouco mencionada na história das ciências, especialmente quando se trata das áreas ditas “masculinas”.

Pesquisas como a de Hildete Melo e Ligia Rodrigues (2006) mostram que no Brasil, essa participação ainda encontra inúmeras dificuldades, apesar do seu crescimento desde a década de 1970. As referidas autoras destacam como uma das dificuldades, a sobrecarga de trabalho na conciliação entre trabalhos domésticos e trabalhos fora do lar. Afinal, as transformações nas relações de gênero infelizmente ainda não proporcionaram a todas as mulheres a partilha das atividades da casa com os seus companheiros e filhos, e em alguns casos, ainda que exista a trabalhadora doméstica, cabe à mulher, na condição de patroa, a gestão do lar.

Dessa forma, as exigências de horas de trabalhos em laboratórios, viagens, Congressos etc. tornam-se distantes dos horizontes de algumas mulheres estudiosas, porém, sem condições concretas para o exercício da pesquisa, tecnologia e inovação. 

Mesmo com a maior inserção nas Ciências Humanas e Sociais, algumas mulheres por vezes, “abrem mão da pesquisa” por se apresentar como mais uma atribuição cujas exigências lhes parecem árdua.

A questão não é a pesquisa em si, que pela sua característica intrínseca exige disciplina, dedicação, tempo para estudos, viagens, eventos etc. Essas são exigências fundamentais. A questão é: pensar-se condições efetivas de inserção das mulheres nesse contexto, considerando as singularidades pertinentes às mulheres. Nada de privilégios e concessões! Não é disso que se fala. Trata-se de pensar as diversidades dos sujeitos que fazem a ciência.

Isto feito permitirá que possamos ampliar a participação de mulheres nas pesquisas, especialmente nas áreas ainda predominantemente masculinas, uma vez que podemos constatar a enorme contribuição que pesquisadoras brasileiras, têm dado ao Brasil com os seus estudos em todas as áreas do conhecimento, apesar das limitações citadas e de outras não mencionadas.

Por essa razão, a FAPEMA expressa os seus agradecimentos e reconhecimentos às mulheres pesquisadoras maranhenses pelo DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

  Categorias: