Novas oportunidades de desenvolvimento para o setor aeroespacial do MA

Novas oportunidades de desenvolvimento para o setor aeroespacial do MA
junho 09 19:38 2010

A Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAReunio-AeroespacialPEMA) sediou nesta quarta-feira, 09, uma reunião com representantes da UFMA, UEMA, IFMA e o CLA que tratou da possibilidade de submeter um projeto no edital para formação, qualificação e capacitação de recursos humanos em áreas estratégicas do setor espacial do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).  

As propostas aprovadas pelo Edital AEB/MCT/CNPq N º 33/2010, serão financiadas no valor global estimado de R$ 13 milhões oriundos do FNDCT/Fundos Setoriais, com previsão de liberação em 2 parcelas, sendo seis milhões em 2010 e sete milões em 2011, de acordo com a disponibilidade orçamentária e financeira do FNDCT/Fundos Setoriais.

O edital se mostrou uma nova oportunidade para estimular o desenvolvimento e o potencial do setor espacial maranhense. Esta visão foi compartilhada durante a reunião pelos professores Areolino Neto e Anselmo Paiva (UFMA), Walter Canalles (UEMA), Hilton Rangel (IFMA) e os representantes do Centro de Lançamento de Alcântara, Capitão Matos e o Engenheiro Raimundo Nonato Brasileiro.

Com a submissão de uma proposta do Maranhão ao edital, espera-se retomar a interação entre as instituições de ensino, Fapema e o CLA. Este último comprometeu-se ainda em apresentar os seus problemas às universidades maranhenses, e em parceria com os pesquisadores locais, propor e desenvolver recursos tecnológicos.

Areolino Neto ressaltou a importância desse edital para o Estado: “Esse edital é uma grande oportunidade para afinar essa parceria que já se estabeleceu entre a Fapema, instituições de ensino e CLA. Isso vai fazer com que alunos se interassem por essa área, profissionais possam se engajar e trabalhar mais, e, sobretudo, o CLA passará a demandar soluções locais, em vez de somente importar soluções do exterior ou de outras regiões do país. Dessa forma, levaremos desenvolvimento ao CLA e ao nosso Estado, produzido por maranhenses”, analisou.

Rosane Guerra, diretora-presidente da Fapema, lembra que está previsto para esse ano, a criação de um curso de especialização na área aeroespacial, que, por sua vez, marcará a implementação do Instituto Aeroespacial Maranhense. As iniciativas são fruto do restabelecimento de uma parceria entre a Fundação, o CLA, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e as instituições de ensino maranhenses. “Com a criação desse instituto esperamos fomentar a formação de recursos humanos nesta área. A proposta inicial é criar cursos de especialização no setor aeroespacial, com o apoio do ITA”, destacou.

  Categorias: